Um dos grandes desafios de quem gerencia seu próprio negócio é a correta administração dos custos de operação. Afinal, é fundamental equilibrar essas despesas com as receitas previstas para fechar as contas e terminar o mês sempre no azul.

    Mas e quando o assunto é a gestão dos custos de frota, você por acaso sabe o que deve ser considerado?

    Continue lendo este post para descobrir os principais custos que impactam na sua frota de veículos e aprender a otimizá-los, garantindo a saúde financeira do seu negócio!

    Combustível

    Esse provavelmente é um dos primeiros custos que nos vêm à mente quando falamos sobre uma frota de veículos, não é mesmo? E não é para menos, já que as constantes altas nos preços dos combustíveis têm dificultado bastante a tarefa de lidar com essa despesa.

    Por isso, além de considerar esse custo na gestão financeira da sua frota, é preciso tomar algumas medidas com foco no consumo consciente. Você pode, por exemplo, fazer um estudo sobre suas rotas, a fim de reduzir as distâncias percorridas, ou apostar em veículos mais modernos, que são mais eficientes e consomem menos.

    Manutenção

    Para garantir o bom funcionamento dos veículos e, principalmente, a segurança dos condutores, o gestor não deve descuidar da manutenção. O detalhe é que a dificuldade em prever esse tipo de gasto costuma ser um grande empecilho da hora de elaborar o planejamento financeiro.

    Para facilitar a administração desses valores, o ideal é desenvolver um plano de manutenção preventiva para os veículos da frota. Essa medida ajuda a reduzir não apenas os custos, mas também os riscos de acidentes por problemas mecânicos.

    Taxas e impostos

    Anualmente, todo proprietário de veículo tem como obrigação o efetuar o pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA). O montante cobrado corresponde a uma porcentagem do valor de mercado do veículo, sendo que essa alíquota é definida pelo estado onde ele está registrado.

    Após o pagamento do IPVA, ainda é necessário fazer o licenciamento para garantir que o veículo esteja rodando de maneira regular. Os valores e os prazos também são definidos por cada estado, levando em conta o tipo de veículo e o número da placa.

    Para que esse dever não represente um problema na sua gestão de frotas, a dica é se programar ao longo de todo o ano para arcar com esses pagamentos. Dessa forma, você dilui o impacto causado por esses custos, aumentando o controle sobre as finanças do negócio.

    Seguro

    Ainda falando sobre taxas obrigatórias, o seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) também precisa estar em dia na hora do licenciamento, devendo ser pago junto com a primeira parcela ou cota única do IPVA.

    A contratação de um seguro opcional também é altamente recomendada quando falamos em uma frota de veículos. Contar com proteção contra roubo, furto, acidentes e problemas com a carga é fundamental para garantir uma gestão eficiente e viagens tranquilas.

    Mais uma vez, o ideal é planejar para que esse custo seja amortizado de maneira gradual, evitando o comprometimento do caixa. Pode acreditar: vale muito mais a pena fazer esse esforço que deixar o patrimônio da empresa desprotegido, sujeito a prejuízos que podem superar em muito o valor que seria investido no seguro.

    Como dissemos no início deste post, gerenciar corretamente os custos de frota é condição fundamental para manter a saúde financeira de qualquer negócio. Mais que isso, é preciso ainda desenvolver uma política de frotas que atenda às necessidades da empresa. Pronto para esse desafio?

    Quer saber mais? Então aproveite para descobrir como criar uma política de frotas inteligente!