175353-qual-a-diferenca-entre-protecao-veicular-e-seguro-automotivo

Qual a diferença entre proteção veicular e seguro automotivo?

Agosto 2019

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Para muitas pessoas, as diferenças entre seguro automotivo e proteção veicular não são claras. Isso pode ser um problema na hora de optar por uma ou outra modalidade. Por isso, é importante se informar e conhecer as vantagens e desvantagens de cada uma.

Para facilitar sua escolha, neste artigo, vamos esclarecer as diferenças básicas entre as duas. Falaremos de como funciona cada uma, suas respectivas vantagens e o que é preciso considerar antes de se decidir entre seguro auto e proteção veicular. Confira!

Qual a diferença entre proteção veicular e seguro auto?

Existem algumas diferenças entre as modalidades, que vão desde a forma como o serviço é contratado até as condições de garantia, direitos e deveres. Elas podem ser determinantes, dependendo do uso que faz do seu veículo e do que espera com a escolha.

A primeira diferença entre eles está na forma de contratação e de fornecimento. O seguro auto é ofertado por empresas seguradoras, as quais têm interesses econômicos privados. Já a proteção veicular funciona por meio de associações cooperativas sem fins lucrativos. Dessa forma, reúnem pessoas para dividir os custos e as despesas com a proteção dos veículos.

Normalmente, a proteção veicular é mais barata do que os seguros automotivos. Contudo, é preciso considerar as diferenças nas garantias, nos direitos e deveres para fazer a opção.

Adesão

Para aderir ao seguro automotivo, primeiramente, é necessário que o veículo passe por uma inspeção e seja avaliado por um profissional da seguradora. A partir disso, o pedido do cliente será certificado para que seja feita a definição do valor a ser pago, que é integral, mas pode ser parcelado.

Assim como nos seguros, na proteção veicular, o carro também é inspecionado e avaliado. O interessado deverá pagar uma taxa e assinar o termo de adesão. Esse documento oficializa a associação, fazendo com que a proteção passe a vigorar. O pagamento é cobrado na forma de mensalidades atribuídas aos associados, que podem variar, a depender do acúmulo de prejuízo.

Apólice

Ao contratar um seguro auto, o cliente tem acesso à apólice. É nela que estão descritos os deveres e as responsabilidades da seguradora e do cliente. Nesse caso, os riscos são de responsabilidade da seguradora e os eventuais custos são transferidos para ela.

No caso da proteção veicular, no entanto, não há apólice. A garantia de proteção é dada pelo contrato assinado pelos associados, no qual se comprometem a responsabilizar-se mutuamente sobre os veículos.

Regulamentação

As seguradoras são regulamentadas e estão sujeitas às normas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) e pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). Isso é o que protege os clientes e fornece garantias legais.

A proteção veicular não conta com uma regulamentação forte. Uma vez que esse serviço é fornecido por associações, as únicas instituições que regem e definem a legalidade das operações são o Código Civil Brasileiro e a Organização de Cooperativas Brasileiras (OCB), o que pode tornar a resolução de problemas mais burocrática.

Cobertura

Em geral, a cobertura oferecida pelos seguros automotivos é a mesma: garantia contra roubos, furtos, incêndios, colisões e danos a terceiros. Contudo, normalmente, são oferecidos outros tipos de cobertura com custos adicionais, que podem ser muito úteis, como assistência 24 horas e outros serviços.

A cobertura oferecida pelas associações de proteção veicular é praticamente a mesma. A diferença é que, nesse caso, dificilmente encontram-se coberturas adicionais, que podem fazer falta, dependendo de como usa o seu veículo.

O que considerar ao escolher um seguro auto?

O primeiro ponto que você deve levar em consideração é que tipo de cobertura pretende adquirir. Quem deseja ter proteção total do seu veículo e a garantia de serviços extras, como auxílio em caso de emergências, deve preferir o seguro auto.

Além disso, deve pesquisar entre as empresas que oferecem o serviço, analisando sua reputação no mercado, se há reclamações sobre a prestação e como elas são respondidas, entre outros pontos. Cheque a qualidade do atendimento ao cliente e, se for possível, peça indicação aos seus amigos.

Depois, é hora de avaliar a cobertura em si. Analise seu perfil de motorista e quais são as situações cotidianas que podem resultar na utilização do serviço. Você utiliza o veículo para trabalhar ou viajar constantemente? Ele fica em garagens ou em lugares com índices altos de roubos e furtos? O ideal é que a cobertura ofereça facilidades em todas as situações.

Você pode conversar com um corretor de seguros e tirar todas as suas dúvidas antes de tomar uma decisão. Lembre-se apenas de que quanto maior for a cobertura, maior será o valor a ser pago pelo seguro auto. Evite tirar coberturas importantes do plano para economizar, pois o barato pode custar caro mais tarde.

Não se esqueça também de pedir um carro reserva, em especial se for dependente do veículo. É essencial nos casos de sinistros para que você não fique na mão. Normalmente, ele é disponibilizado por até sete dias, mas esse prazo pode ser estendido.

O que deve ser avaliado em relação à proteção veicular?

A proteção veicular, como mencionamos, é uma opção que pode ser mais econômica, mas deve ser muito bem avaliada antes de ser escolhida. Aqui, também valem as recomendações sobre checagem de reputação das associações, reclamações e principalmente como é feito o atendimento em caso de sinistro.

Não deixe, portanto, de pesquisar muito sobre essas cooperativas para ter certeza da sua idoneidade e nível de confiança. Outro ponto importante é fazer a comparação de preços tanto entre cooperativas quanto em relação aos valores cobrados pelas seguradoras. Tenha certeza de que não encontrará uma seguradora que ofereça melhor custo-benefício para você antes de fechar com uma proteção veicular.

Quanto à cobertura, cabe a mesma avaliação que será feita nos casos de seguradoras, ou seja, veja que tipos de sinistros estão garantidos. Raramente, no entanto, você encontra proteção veicular que oferece as coberturas extras, como assistência 24 horas, entre outras.

Também é bom checar a velocidade com que será atendido. Por fim, compare os benefícios oferecidos pelos contratos das associações, procure outros associados para obter informações e se esse serviço realmente vale a pena para você.

Quais as vantagens de cada modalidade?

Embora seja mais caro, o nível de regulação e fiscalização que envolve os seguros automotivos faz com que esse seja um serviço com melhores garantias. O nível organizacional das seguradoras permite que o cliente receba indenizações com maior facilidade e tenha menos responsabilidades diretas com relação a terceiros.

Já as associações de proteção veicular são mais baratas. Apesar de não terem a mesma capacidade organizacional, oferecem praticamente os mesmos tipos de cobertura que os seguros. Porém, nessa modalidade, as responsabilidades são maiores, uma vez que o associado não é simplesmente um cliente.

Portanto, para escolher, o consumidor deve avaliar suas necessidades. Se você usa muito seu veículo e depende dele para trabalhar ou cuidar da família, o mais recomendado é contratar um seguro auto que garanta a proteção necessária, resolvendo os problemas de forma mais ágil. Mas, se você tem limitações financeiras e não depende do automóvel no dia a dia, contar com uma associação pode ser o suficiente para proteger o seu veículo.

O que achou do nosso post? Ficou mais clara a diferença entre seguro auto e proteção veicular? Se você quer mais detalhes sobre o que é preciso saber e como proceder para contratar um seguro automotivo, leia esse outro artigo que preparamos e sinta-se mais confiante para fazer a melhor escolha!

Comentários