Quando deve ser feita a limpeza do ar-condicionado automotivo?

Julho 2019

8 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

 

Em um país com temperaturas tão altas quanto o Brasil, o ar-condicionado veicular é um item praticamente obrigatório para muitos motoristas — principalmente para aqueles que costumam passar uma boa parte do dia enfrentando o trânsito caótico das grandes cidades.

Mas não vale ficar só curtindo o ambiente agradável que esse equipamento proporciona e se esquecer de fazer a devida limpeza, viu? Afinal, um sistema de ar-condicionado sem a higienização correta, além de ter seu funcionamento afetado, pode causar sérios problemas à saúde.

Que tal se prevenir acompanhando o post de hoje para descobrir quando e como deve ser feita a limpeza do ar-condicionado automotivo? Confira!

Sinais de que é hora de uma boa limpeza do aparelho

A recomendação geral é que se faça a limpeza do ar-condicionado automotivo a cada seis meses, além de providenciar uma manutenção a cada 30 mil quilômetros rodados. Porém, alguns sinais também podem indicar essa necessidade. Entenda a seguir!

Mau cheiro

O mau cheiro é um dos principais sinais que indicam a necessidade de higienização do ar-condicionado automotivo. O odor desagradável é causado pelo acúmulo de ácaros, bactérias e fungos nos filtros de ar do sistema de refrigeração. Sem a limpeza adequada, eles se desenvolvem, criando verdadeiras colônias e espalhando um cheiro desagradável por todo o interior do veículo.

Já pensou se você está dando carona para alguém em um dia de muito calor e não pode ligar o ar? Nessas horas, nem aqueles sachês de perfume para carro resolvem! O jeito é fazer a higienização o quanto antes.

Problemas respiratórios

Os micróbios que ficam presos ao filtro de ar também podem causar várias complicações no sistema respiratório humano, como asma, rinite e alergias diversas. Não tem jeito: fazer uso do ar-condicionado automotivo sem a devida higienização representa um grande risco à saúde — principalmente a das crianças.

Por conta disso, saiba: se os passageiros começarem a sentir dificuldades respiratórias ou a espirrar justamente quando o ar-condicionado é ligado, esse certamente é o momento de realizar uma bela limpeza. Afinal, é melhor investir na higienização do que gastar com médicos e ainda prejudicar a saúde da sua família.

Dificuldade de ventilação

Uma maior dificuldade na ventilação também pode ser sinal de necessidade de limpeza, já que o filtro de ar sujo pode impedir parte da passagem do ar, comprometendo a eficiência do ar-condicionado automotivo. Assim, para atingir a temperatura desejada, o sistema precisa ficar ligado por mais tempo e em uma potência maior, consumindo mais bateria e combustível.

É simples: um ar-condicionado automotivo em más condições de limpeza pode afetar a performance de todo o veículo. Em tempos de preço do combustível nas alturas, o melhor a fazer é cortar o mal pela raiz!

Higienização do ar-condicionado veicular

Como comentamos, a melhor maneira de fazer a manutenção ou a higienização do ar-condicionado automotivo é procurando um profissional especializado e de confiança. Isso, porque, apesar de parecer ser uma tarefa simples, a perícia e os conhecimentos necessários são muito importantes nesse processo.

A limpeza básica de filtro de ar e das tubulações costuma ser barata, custando uma média de R$30 a R$50. Já quando envolve procedimentos mais complexos, que incluem a limpeza do evaporador, do compressor e demais componentes do sistema de ar, o valor pode ser bem maior. Pode, portanto, ser importante se preparar para esse momento, a fim de não ser surpreendido pela conta.

Dicas para uma boa manutenção do ar-condicionado

Consulte o manual do carro

Na cultura dos brasileiros, é bastante comum não ler os manuais, independentemente do equipamento. Na maior parte dos produtos do dia a dia, essa prática pode não apresentar grandes problemas, mas, quando falamos em veículos, a conversa é diferente.

Ao comprar um carro, é fundamental ficar atento ao que está descrito no manual, visto que nesse encarte há informações importantes e até mesmo essenciais sobre o veículo. Isso é válido para o ar-condicionado, visto que cada carro tem as suas especificidades sobre os componentes e o modo de funcionamento.

Conheça os componentes do ar-condicionado

Saber direitinho quais componentes devem ser limpos ajuda o condutor na hora de deixar o carro em um serviço especializado. Dessa maneira, você pode se certificar de que o trabalho realizado foi realmente completo. Além disso, caso pequenos ajustes sejam feitos em casa, é preciso ter conhecimento sobre os componentes e seus modos de funcionamento.

Pensando nisso, confira agora mesmo os principais pontos da higienização de ar-condicionado automotivo!

Filtro

Também chamado de filtro de cabine, o filtro de ar é responsável por reter as impurezas e garantir que um ar limpo e agradável saia do sistema de ar-condicionado automotivo. Ele geralmente fica escondido atrás do painel, antes das saídas de ar.

É difícil avaliar em quanto tempo ele deve ser trocado, visto que isso depende da frequência e da intensidade de uso. Contudo, ao perceber qualquer um dos problemas que já listamos até aqui, procure um profissional especializado para efetuar a limpeza.

E atenção: apesar de alguns modelos virem equipados com filtros antiácaro, a manutenção e a limpeza periódica continuam sendo as melhores soluções contra os problemas do ar-condicionado automotivo sujo.

Tubulações

Ao fazer a limpeza do filtro de ar, aproveite para também para fazer a higienização dos tubos internos do sistema, por onde todo o ar passa. Esse processo é realizado por meio de um spray que elimina as impurezas acumuladas nessas regiões. Simples, rápido e eficiente!

Evaporador

Se a limpeza básica não for suficiente para resolver seu problema, talvez seja preciso pensar em uma higienização mais profunda. Aí é que entra o evaporador, responsável por resfriar o ar. Esse item dá um pouco mais de trabalho para ser removido, tanto que o processo pode demorar alguns dias e requer mão de obra especializada.

Não se esqueça disto: procurar um profissional capacitado para fazer a limpeza do evaporador vai evitar maiores problemas com o ar-condicionado automotivo. Não abra mão desse cuidado!

Compressor

A função do compressor é, como o próprio nome já sugere, comprimir o gás refrigerante, fazendo-o circular pelo sistema. Esse processo é feito ininterruptamente, centenas de vezes por minuto. Por isso, problemas como acúmulo de resíduos nessa parte certamente comprometerão o funcionamento do ar-condicionado veicular.

Como o compressor é o único componente que possui peças móveis no sistema de ar, a troca do óleo lubrificante, de baixa viscosidade e composição química diferenciada, é essencial para sua manutenção.

Na manutenção completa do ar, que deve ser feita a cada 30 mil quilômetros, ainda serão revisados itens como filtro secador, mangueiras, válvulas de enchimento e gás refrigerante. Nada de ignorar a manutenção e a higienização do sistema de ar-condicionado automotivo, combinado? Esses procedimentos são fundamentais para o bom funcionamento do seu carro, bem como para sua saúde!

Evite a manutenção corretiva

A manutenção preventiva é realizada com o objetivo de impedir ou amenizar as falhas nos componentes dos automóveis. Esse tipo de serviço é sempre planejado, sendo realizado periodicamente. A vantagem é que, além de gerar menos custos para o proprietário, esse tipo de manutenção faz com que o ar-condicionado opere com seu máximo desempenho.

Já a manutenção corretiva é feita, como o próprio nome sugere, para resolver problemas imediatos. No caso do ar-condicionado veicular, quando surge algum problema, a solução é sempre mais complexa. Dessa forma, esse tipo de manutenção deve ser evitada.

Outro ponto importante é que consertos podem ser bastante caros, enquanto as manutenções preventivas são realizadas de acordo com a quilometragem ou com o tempo de uso do ar-condicionado veicular. Sendo assim, é fácil se planejar e encaixá-las no orçamento.

Verifique o gás do ar-condicionado veicular

O sistema do ar-condicionado possui um gás refrigerante. Esse gás precisa ser reposto a cada dois ou três anos, visto que escapa gradualmente ao longo do uso, deixando o ar-condicionado sem soprar frio.

É importante saber que a falta de utilização do ar-condicionado também aumenta a velocidade que o gás escapa, pois as juntas de borracha ficam sem lubrificação e se ressecam, deixando de formar uma vedação eficiente.

Use produtos específicos

A manutenção preventiva deve ser feita com profissionais periodicamente, mas isso não impede que o proprietário tenha um cuidado a mais com o sistema de ar-condicionado de seu veículo. Existem, por exemplo, latas de aerossol que podem ser pulverizadas diretamente nas saídas de ar, mantendo o sistema limpo e cheiroso.

Uso adequado do equipamento no dia a dia

Apesar de a limpeza do ar-condicionado ser indispensável, separamos também algumas dicas para você fazer um bom uso do sistema de ar do seu carro no dia a dia, otimizando sua eficiência e vida útil. Acompanhe!

Evite deixar o ar-condicionado desligado por muito tempo

Esse é o primeiro ponto que deve ser observado, mas também é um dos aspectos normalmente mais esquecidos pelos donos dos veículos. Na prática, quando o ar-condicionado automotivo fica desligado por muito tempo, isso pode favorecer o acúmulo de poeira nos componentes. Para garantir a lubrificação e evitar o ressecamento das peças, ligue o ar pelo menos uma vez por semana.

O importante é fazer o ar circular pelo sistema. Dessa forma, no inverno e em locais que fazem frio constantemente, pode-se ligar o ar-condicionado veicular na temperatura quente, em vez de apenas andar com os vidros fechados.

Dissipe o ar quente do carro antes de ligar o ar-condicionado

No Brasil, o maior uso do ar-condicionado é para os dias de bastante calor. Entretanto, é justamente nesses períodos que você deve tomar um cuidado extra ao fazer uso do sistema. Anote aí: o ideal é sempre dissipar o ar quente do interior do veículo antes de ligar o aparelho.

Por isso, ao entrar no carro, depois de deixá-lo estacionado sob um forte calor, abra as janelas e rode por algum tempo até amenizar a temperatura interna. Ligar o ar-condicionado contra um calor forte demais faz com que o sistema trabalhe mais intensamente, forçando os componentes e comprometendo sua vida útil.

Cuide ao usar o botão de recirculação

O botão de recirculação do ar-condicionado veicular proporciona um resfriamento mais rápido, mas é importante não usá-lo de maneira habitual, visto que pode ocorrer sobrecarga do aparelho.

Além disso, pode ocorrer saturação do ar no interior do carro, uma vez que o ar não é trocado com o meio externo. Sendo assim, esse recurso não é indicado para quem vai passar muito tempo dentro do veículo, e sim quando o carro estiver rodando por áreas com grande concentração de poluição.

Manutenção do cheirinho de carro novo por mais tempo

Por mais que nada substitua o serviço de um profissional especializado na higienização do ar-condicionado, isso não significa que você não possa tomar alguns cuidados por conta própria! Fazer uma higienização básica temporária é ideal para manter seu veículo sempre com aquele cheirinho de carro novo, evitando os maus odores.

Separamos um passo a passo para você fazer uma limpeza superficial no ar do seu carro. Para tanto, será preciso usar um bactericida próprio para higienização de ar-condicionado automotivo. A boa notícia? Além de ser facilmente encontrado, o produto não é caro. Essa limpeza pode ser realizada entre as revisões programadas com os especialistas. Veja só!

Seque os dutos de ar

De tempos em tempos, ligue o ar quente (não o ar-condicionado) e deixe o sistema funcionar na velocidade máxima por um minuto. Isso ajuda a manter os dutos de ar completamente secos. Lembrando que a umidade é uma das principais vilãs causadoras de mau cheiro.

Ative a circulação interna

Para uma limpeza mais completa, depois de deixar o ar quente agir por um minuto, baixe a temperatura e ligue o ar-condicionado em si. Nesse momento, acione também a recirculação de ar na cabine. Isso ajudará o produto bactericida (que será adicionado em seguida) a circular por todo o interior do automóvel.

Abra as saídas de ar

Abrir as saídas de ar do painel é outra prática que ajuda o bactericida a circular pelos dutos e interior da carro. Ah, e se certifique de que todas as janelas estão fechadas!

Aplique o produto bactericida

Por fim, pegue o bactericida, coloque-o no chão do carro e acione o jato. Logo em seguida, saia do carro e feche as portas. Quando o produto tiver acabado, entre no veículo e desligue o ar-condicionado. Detalhe: depois desse procedimento, é preciso manter o ar quente ou o ar-condicionado desligados por 5 minutos.

E pode acreditar: vale muito mais a pena tomar medidas preventivas e fazer a limpeza regular do sistema de ar do que lidar com os problemas que sua má higienização pode causar. Por isso, além de seguir nossas dicas, consulte o manual do fabricante para conhecer os cuidados específicos que você precisa tomar para usufruir da melhor maneira possível do seu ar-condicionado automotivo!

E se você quer ficar por dentro de todos os nossos posts a partir de hoje, siga nossas páginas nas redes sociais e não perca as próximas dicas! Estamos no LinkedInYouTubeInstagramFacebook e Twitter.

 

Comentários