Para muitos, a conquista de um veículo próprio é um verdadeiro sonho. Trata-se, afinal, da possibilidade de se locomover sem depender do transporte público — o que é uma grande vantagem em muitas e muitas cidades pelo país afora. Contudo, colocando a utilidade acima de todo o resto, muitas pessoas se esquecem de analisar quanto custa manter um carro. Pois a informação é fundamental nesse caso.

    É sempre bom saber, por exemplo, que os gastos com um automóvel vão além do combustível. Pense bem: ao longo da vida útil do carro, será preciso desembolsar uma boa quantia com manutenção, IPVA e seguro, entre outros gastos. Pensando justamente nisso, resolvemos apresentar aqui as reais despesas de manutenção de um carro. Confira!

    Quais são os custos para manter um carro?

    Depreciação

    A depreciação está relacionada com a perda de valor que o veículo sofre ao longo do tempo. Considerando o modelo e o ano em que o carro foi fabricado, essa medida é determinada pela tabela Fipe e pela Receita Federal. Podemos dizer que, em média, um automóvel costuma desvalorizar no mínimo 10% a cada ano. Isso nos primeiros anos de vida do carro.

    Além dessa desvalorização simplesmente pelo tempo decorrido, existem ainda outros problemas que podem aparecer, como danos na pintura, desgastes na parte elétrica e problemas causados por batidas, que podem prejudicar ainda mais o valor do veículo.

    Combustível

    No início do texto, comentamos que os gastos com um automóvel não se restringem apenas ao combustível, está lembrado? Realmente, não se restringem. No entanto, não podemos ignorar o fato de que o abastecimento será um custo recorrente na sua vida de proprietário de carro. É importante saber, assim, que esse tipo de gasto demandará uma quantia considerável todo mês, variando de acordo com a distância percorrida.

    Manutenção

    A manutenção é um custo que atinge qualquer tipo de bem, seja ele um carro ou um imóvel. Anote aí: pensando no longo prazo, suas posses sempre demandarão cuidados — isso se você quiser que elas durem, claro. Para evitar surpresas desagradáveis, pesquise bastante sobre valores de assistência dos modelos pretendidos e faça revisões periódicas para prolongar a vida do carro.

    Para você ter uma ideia, aqui vai uma listinha básica dos itens que costumam necessitar de vistoria com certa periodicidade: balanceamento e alinhamento dos pneus, disco, pastilhas e fluido do freio, filtro de ar, filtro do combustível, embreagem, velas, entre outros.

    Seguro

    Por mais que alguns possam achar que o seguro automotivo não é tão necessário, não se deixe enganar. Esse é um item essencial para deixá-lo tranquilo em relação ao carro. Quem costuma dirigir na cidade sabe como a segurança anda em falta, não é mesmo? Para evitar problemas, simplesmente fugir de certas regiões ou dirigir com extremo cuidado podem não ser suficientes. Afinal, apesar disso, não há como controlar as outras pessoas!

    Aí entra a contratação de um seguro, passo essencial para você ficar mais tranquilo. Além disso, na hora de efetivamente adquirir seu automóvel, é importante levar esse custo em conta. Veja o que costuma estabelecer o preço do seguro:

    • idade do motorista: para as seguradoras, quanto mais jovem é o motorista, maiores são as chances de que seja negligente ao volante, o que pode acrescentar 15% ao valor do benefício;

    • equipamentos de segurança do carro: tem-se aqui um fator de redução de até 30% do seguro;

    • tempo em que o veículo fica em locais considerados seguros, como garagens ou estacionamentos: isso pode reduzir até 25% do preço do serviço.

    Que modelos considerar para o primeiro carro?

    Como sabemos que manter um automóvel não é muito barato, resolvemos ajudá-lo a poupar um pouco na hora de escolher seu veículo. Primeiramente, saiba: é importante optar por carros que apresentem um baixo nível de depreciação. Os que normalmente se encaixam nessa opção são modelos sedã, picapes e esportivos, tipo SUVs. Em média, esses carros costumam sofrer uma depreciação de 11% a 15% ao ano.

    Além disso, vale e pena procurar por automóveis mais econômicos no que se refere ao consumo de combustível. Dessa forma, você consegue rodar mais sem gastar tanto, valendo o custo-benefício.

    A essa altura, deu para entender por alto quanto custa manter um carro, não deu? Que tal continuar lendo sobre veículos? Acesse agora mesmo nosso texto sobre como escolher carros seminovos e aprenda mais um pouquinho!