como-se-planejar-para-quitar-dividas-e-evitar-erros-comuns

Como se planejar para quitar dívidas e evitar erros comuns?

Maio 2018

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Para quitar dívidas, existem muitas condutas que o consumidor pode incluir em sua rotina. E algumas delas são tão interessantes que podem ser adotadas até por pessoas que não possuem dívidas, a fim de manter sua vida financeira saudável.

Sabemos que as dívidas são uma realidade desagradável, mas é bem provável que, em algum momento da vida, você terá de lidar com elas. Então, é bom estar preparado.

Pensando nisso, neste texto, selecionamos algumas dicas que ajudarão você a se planejar para quitar dívidas, evitando os erros mais comuns desse processo. Acompanhe!

Organize-se e dimensione o problema

É impossível tomar qualquer medida financeira e obter sucesso se você não tiver seus custos e rendimentos organizados. E, quando se trata de reduzir despesas, isso é mais do que necessário. Lembre-se de que, nesse processo, será muito importante evitar outras dívidas.

Comece analisando os seus gastos fixos e variáveis, use uma planilha eletrônica ou anote em um caderno todas essas informações sobre seus hábitos financeiros. O principal ponto aqui é ter controle e saber o quanto tem para liquidar seus débitos.

Defina as dívidas prioritárias

Depois de se organizar e saber de quanto dinheiro dispõe, é hora de encarar suas dívidas. Faça uma lista com todas, definindo também os valores totais, os números de parcelas e o credor.

No caso de empréstimos bancários, não deixe de considerar o CET (Custo Efetivo Total) de cada um, que define todas as taxas extras do débito.

O ideal é organizar a lista da mais cara até a mais barata. Depois, definir quais serão as primeiras dívidas a serem pagas. Aconselhamos começar pelas que cobram juros mais altos ou que são mais caras, assim você evita que se acumulem e se tornem uma bola de neve.

Negocie seus débitos

Depois de se organizar e definir suas dívidas segundo uma lista de prioridades, você já pode procurar seus credores para propor uma negociação. O ideal é que, ao procurá-los, você já tenha uma proposta.

Lembre-se de que os dois lados têm interesse em resolver a situação, então não se intimide nesse momento. No entanto, mantenha a calma para chegar a uma solução mais favorável, afinal você está tentando resolver a sua situação financeira e não piorar o problema, trocando uma dívida por outra.

Defina prazos de pagamento

Após a negociação, você terá uma ideia de quando pagar seus débitos e do valor utilizado para isso. Se você tem um número considerável de credores, essa é uma boa hora para planejar os prazos, estipulando um cronograma para os pagamentos.

Anote em um calendário as datas dos vencimentos e separe a quantia necessária para cada uma. Nesse momento, o importante é não perder o foco até que elas estejam quitadas, ou seja, não faça outras dívidas pelo menos até terminar o pagamento negociado.

Encontre uma fonte de renda extra

Como forma de garantir que você vai honrar o compromisso assumido com a negociação de suas dívidas, procure uma fonte de renda extra. Existem, ao menos, duas formas para conseguir isso: vendendo alguns dos seus bens ou fazendo atividades extras.

Quando você vende seus bens, abdica de algumas coisas que conquistou, o que é muito difícil. Além disso, nem sempre você consegue o valor esperado, então é bom negociar com calma.

Ao iniciar uma atividade que garanta renda extra, você terá que organizar os seus horários para conciliá-la com a sua rotina habitual, mas não desista. Existem muitos tipos de trabalhos possíveis, como vender doces, salgados, cosméticos e artesanato, entre outros. São atividades simples, mas que podem garantir bons rendimentos.

Temos certeza de que, com essas dicas para quitar dívidas, você estará preparado para lidar com essa situação e logo poderá regularizar a sua vida financeira. Quer continuar recebendo conteúdos como este? Então assine a nossa newsletter!


 

Comentários