Será que vale a pena quitar financiamento com um consórcio? Veja!

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Os financiamentos bancários são uma forma de crédito muito comum para quem quer adquirir bens de valores maiores, como veículos e imóveis. Por meio deles, um banco concede o dinheiro necessário para a compra do bem e o consumidor devolve o montante com o acréscimo de juros, pagando parcelas mensais que se alongam por anos.

No entanto, depois de um período pagando as parcelas, é comum que o consumidor procure formas de abater os valores devidos. E uma das formas de fazer isso é utilizar um consórcio.

Para entender como quitar financiamento dessa maneira e saber se isso compensa, acompanhe o texto. Boa leitura!

Quem pode quitar financiamento com um consórcio? Como fazer isso?

O procedimento para quitar um financiamento utilizando um consórcio acontece quando uma pessoa contemplada utiliza a carta de crédito à qual ela tem direito para pagar um financiamento já contratado. Esse mecanismo tornou-se possível com a promulgação da Lei dos Consórcios, que foi assinada em 2008 e passou a vigorar no ano seguinte.

Para concretizar a operação, algumas regras devem ser seguidas. Primeiramente, tanto o financiamento quanto o consórcio devem ter o mesmo titular. Os contratos precisam prever essa possibilidade, ser posteriores a 2009 e pertencer ao mesmo segmento (ou seja, consórcios imobiliários só quitam financiamentos imobiliários).

Ademais, a administradora e a instituição financeira devem concordar com a operação, e a carta de crédito precisa ter valor igual ou superior ao saldo devido no financiamento.

Quem preenche todas as regras deve contratar um consórcio e aguardar a contemplação, que pode ser por lance ou sorteio. Com a carta de crédito em mãos, é preciso procurar a instituição financeira responsável pelo financiamento, informar a intenção de quitar o saldo devedor e negociar descontos por isso.

Com a concordância do banco, comunique a administradora do consórcio e siga os procedimentos finais necessários para a concretização da operação.

Quais são as vantagens?

Quem opta por quitar o financiamento com a carta de crédito consegue economizar. Com a antecipação do pagamento, é possível obter descontos nos juros pagos no financiamento.

Além disso, como os consórcios são isentos da cobrança de juros e do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF),eles geralmente oferecem parcelas mais em conta. A principal cobrança feita pelas administradoras é a taxa de administração, que quase sempre é menor que os juros.

Caso o valor da carta de crédito seja maior que o saldo do financiamento, é possível usufruir de outra vantagem. O dinheiro sobressalente pode ser utilizado para cobrir despesas burocráticas, como gastos com cartórios, taxas de transferência e tributos.

Vale a pena quitar financiamento com consórcio?

Essa opção de negócio é interessante principalmente para quem consegue tirar proveito das vantagens listadas acima. Dessa forma, o consumidor se livra de uma obrigação com a cobrança de juros e faz a troca por um compromisso com parcelas mais em conta. Isso permite liberar parte do orçamento que ficaria comprometido com o financiamento, e até mesmo colocar as contas em ordem.

No entanto, antes de quitar financiamento utilizando a carta de crédito do consórcio, consulte todos os detalhes previstos em ambos os contratos para que a operação saia conforme esperado. Não se esqueça também de fazer as contas para ter certeza de que essa opção é a melhor para o seu bolso.

Se você quer conhecer uma empresa confiável para contratar um consórcio, entre em contato com a Rodobens, que conta com décadas de experiência nesse setor.


 

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários