135860-refinanciamento-de-veiculos-entenda-o-que-e.jpg

Refinanciamento de veículos: entenda o que é

Outubro 2017

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Empréstimo: essa costuma ser a solução mais procurada por quem está precisando de dinheiro. O detalhe é que, apesar de ser um importante recurso do mercado financeiro para ajudar a reequilibrar as contas, ele deve ser usado com muita consciência.

E tem mais! Nessa hora, em meio a diversas modalidades de crédito, é comum nos depararmos com ofertas de refinanciamento de veículos. Mas você sabe exatamente como esse negócio funciona?

Acompanhe os próximos tópicos para entender agora tudo sobre refinanciamento de veículos e descobrir se vale (ou não) a pena!

O que é o refinanciamento de veículos?

O refinanciamento de veículos é um tipo de empréstimo em que o carro do solicitante é colocado como garantia para o pagamento das parcelas. A vantagem desse tipo de negócio é que as taxas de juros são menores que outros tipos mais comuns de crédito, como o empréstimo pessoal.

É importante destacar que, apesar de permanecer em nome e posse do proprietário, o veículo passa a estar alienado à instituição financeira. Ele pode, assim, ser recolhido pelo credor em caso de inadimplência. Por essas e outras, é necessário planejar e se organizar bastante antes de sequer pensar nessa opção de crédito.

Quais veículos podem ser refinanciados?

Na prática, não são todos os veículos que podem ser incluídos nesse negócio. Apenas aqueles com até 10 anos de fabricação costumam ser aceitos pelas instituições financeiras. Além do mais, quem tem um veículo quitado pode conseguir encontrar esse serviço com mais facilidade, visto que nem todas as empresas refinanciam carros alienados.

Que valor pode ser solicitado?

A quantia liberada em um refinanciamento depende do valor de mercado do veículo que será dado como garantia. Para isso, usa-se como referência a tabela FIPE. O mais comum é que as financeiras limitem o empréstimo a uma porcentagem desse valor, com regras que podem variar bastante entre as instituições.

No caso de refinanciamento de veículo alienado, por exemplo, parte do valor deverá ser usado para quitar o financiamento em aberto. Dessa forma, quem consegue um refinanciamento de 15 mil reais, mas ainda precisa quitar 5 mil do veículo, por exemplo, terá disponíveis apenas 10 mil para usar livremente.

Seja qual for o caso, é importante se planejar bem para que o valor das parcelas não comprometa seu orçamento. Para isso, o ideal é que elas não sejam superiores a 30% da sua renda mensal, ok?

Vale a pena refinanciar o veículo?

Apesar de atrativos devido aos juros reduzidos, empréstimos com garantias costumam ser negócios arriscados. Afinal, caso algum imprevisto ocorra durante o prazo de pagamento, você pode ficar sem um bem importante. Pense bem: você está disposto a correr esse risco?

Antes de optar pelo refinanciamento de veículo, portanto, a dica é procurar por outras opções de crédito que ofereçam boas taxas e segurança no pagamento.

Em alguns casos, o melhor a fazer pode ser vender o veículo e usar o dinheiro para organizar as finanças sem precisar assumir outros compromissos. Com as contas em dia, você poderá se planejar para reconquistar seu companheiro de estrada, evitando se envolver em novas dívidas. E saiba: a melhor maneira de alcançar esse objetivo é por meio do consórcio!

Ficou interessado? Então aproveite para descobrir a melhor maneira de juntar dinheiro para fazer um consórcio de carro!

Comentários