Guia prático: 6 dicas para conseguir renda extra!

Abril 2020

12 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Você tem uma reserva financeira para os momentos de aperto? Esse tipo de cuidado pode ser a diferença entre conseguir segurar as pontas nos momentos difíceis ou acumular dívidas e ter dificuldades quando a situação complicar.

Por isso, a formação dessa garantia emergencial é um ponto importante de qualquer planejamento financeiro, não importa qual seja o seu salário. Mesmo quantias não tão grandes guardadas fazem toda diferença em momentos complicados.

Porém, se seu salário está curto, pode ser difícil começar ou manter uma reserva financeira. É aí que a possibilidade de conseguir uma renda extra surge como alternativa.

Se você não sabe qual é o melhor caminho para isso, nem sabe como incluir esse dinheiro a mais no seu planejamento financeiro, não se preocupe. Preparamos este guia prático completo com tudo o que você deve levar em conta para conseguir tirar o melhor proveito dessa fonte extra de renda. Boa leitura.

Saiba a importância de fazer uma renda extra

Ficar sem emprego e, logo, sem renda, é um medo que certamente todos nós compartilhamos, não é mesmo? E nem só o desemprego pode ser um problema. Mesmo questões menores, como um carro quebrado ou um familiar doente, podem gerar gastos inesperados que comprometem o orçamento de qualquer um.

Logo, juntar dinheiro para fazer uma reserva financeira deve ser uma das prioridades de qualquer pessoa e fazer parte de um planejamento financeiro estruturado. Na hora do aperto, qualquer quantia disponível faz diferença, mas o ideal é que o tamanho da reserva acumulada seja suficiente para suprir alguns meses do padrão de vida seu e de sua família.

Quem, por exemplo, tem um emprego com carteira assinada, pode se dar ao luxo de manter reservas para períodos em torno de 6 meses. Já quem é autônomo deve elevar esse período, uma vez que é normal que esses profissionais tenham mais chances de terem menos renda em determinados períodos.

A forma mais fácil de começar e manter uma reserva financeira é separar uma parte do dinheiro que entra exclusivamente para esse fim, como se você estivesse pagando qualquer outra conta.

No entanto, dependendo do tamanho da renda média disponível ou mesmo do volume de contas para pagar, pode ser difícil separar uma fatia do orçamento exclusivamente para isso. Assim, muitas pessoas desistem desse objetivo, o que se mostra muito prejudicial nos momentos de aperto.

Nosso comportamento também não ajuda, já que quase sempre temos dificuldade em vislumbrar o longo prazo e acabamos por priorizar aquilo que é imediato, embora, às vezes, não tão importante.

É nessas horas que encontrar formas de conseguir uma renda extra pode fazer a diferença e permitir juntar dinheiro para a reserva financeira. Mas essa não é a única vantagem dessa ação. Ela também encurta o caminho até metas mais distantes, além de ajudar a colocar as contas em ordem e evitar dívidas.

Entenda como realizar um planejamento financeiro

No entanto, por mais que você esteja consciente sobre as necessidades e como pode ser bom conseguir uma renda extra, ela não será efetiva se não fizer parte de um planejamento financeiro. Sem ele, o dinheiro a mais que entrará no seu bolso pode ser gasto sem muito critério, não contribuindo para uma vida financeira mais organizada.

A fim de obter sucesso em um planejamento financeiro, é necessário seguir uma série de etapas. Embora a maioria delas seja simples e facilmente implementáveis na sua rotina, é sempre importante manter a disciplina, para que o resultado seja o melhor possível.

Diagnóstico

A primeira etapa envolve fazer um diagnóstico da sua situação atual, incluindo quais são suas fontes de renda, os seus gastos e se existem dívidas em aberto. Para acompanhar receitas e despesas, a recomendação é anotar tudo o que entra e o que sai do seu bolso ao longo do mês.

Isso pode ser feito como o auxílio de diversas ferramentas, digitais ou não. Portanto, fique livre para escolher entre aplicativos para smartphone, planilhas eletrônicas ou mesmo papel e caneta. O essencial é que o controle seja preciso, e que você consiga gerenciá-lo sem maiores dificuldades.

Além disso, nesse momento é necessário listar quais são suas dívidas, se elas existirem. Inclua nessa lista o valor delas, quem são os credores e há quanto tempo elas estão em atraso. Negociá-las e se ver livres desses débitos deve ser sua prioridade antes de qualquer outro passo do planejamento financeiro, ok? Nisso a renda extra também será de grande valia, já que dá um fôlego extra para quitar esses débitos.

Com esse diagnóstico feito, será possível visualizar com mais clareza tanto qual o tamanho das suas dívidas quanto como andam as contas do seu dia a dia, principalmente sabendo se as despesas são maiores que as receitas.

Se esse for o caso, faça uma análise para ver onde é possível cortar com o objetivo de fazer como que as despesas de cada mês não sejam maiores que o dinheiro disponível. Esse cuidado é básico, já que rombos constantes no orçamento podem fazer com que as dívidas surjam mais cedo ou mais tarde.

Estabelecimento de metas

Outra parte essencial de um planejamento financeiro envolve o estabelecimento de metas para o seu dinheiro, no curto, no médio e no longo prazo. Dessa forma, fica mais fácil visualizar que essa organização está dando certo, o que ajuda na motivação para a manutenção dos bons hábitos financeiros.

Um bom objetivo financeiro é aquele que combina duas características básicas: ele deve ser mensurável e ter um prazo. Ou seja, dizer que se quer ficar rico ou fazer uma viagem pelo mundo não devem ser incluídos como objetivos, já que são dois desejos difíceis de mensurar (afinal, ficar quão rico? Viajar para onde exatamente?) e até mesmo de definir uma data para concretização.

Por outro lado, comprar uma casa pode muito bem ser um objetivo viável, já que é possível estipular o prazo (daqui a 5 anos, por exemplo) e até mesmo a faixa de valor do imóvel desejado.

Em geral, metas de até dois anos são chamadas de curto prazo. Períodos de dois até cinco anos englobam metas de médio prazo. Já objetivos que demandam períodos maiores do que cinco anos devem ser considerados de longo prazo.

Revisões constantes

Para ter certeza de que você está no caminho certo, mantenha revisões constantes sobre o andamento do seu planejamento e das suas respectivas metas para saber se o percorrido percurso está de acordo com o proposto inicialmente.

Se as coisas não tiverem saído como esperado, não há problema nenhum em fazer revisões para que as metas implementadas sejam alcançadas. Do mesmo modo, não há nenhum problema em dividir metas maiores em metas menores, que podem ser acompanhadas passo a passo.

Outros dois pontos essenciais de um planejamento financeiro são a formação de uma reserva financeira, assunto que já abordamos mais cedo neste texto, e a busca por formas de investir, tópicos que vamos discutir mais à frente.

Esteja ciente da importância da organização financeira

Mas quais são as recompensas de manter uma organização financeira por meio de um planejamento bem-feito, conforme as etapas indicadas no tópico anterior? Logo de cara, isso permite ter maior controle sobre seu dinheiro e fugir das dívidas, que atormentam qualquer um.

Outra vantagem é poder ter mais consciência de para onde seu dinheiro está indo e o que fazer para mudar hábitos financeiros que talvez estejam comprometendo sua renda. Essa mudança de comportamento diante do dinheiro fará com que ele passe a trabalhar a seu favor e se transforme em um aliado, o que torna possível a concretização das suas metas.

Tudo isso tem o potencial de melhorar sua qualidade de vida, já que o dinheiro e as contas atrasadas batendo na porta serão um problema menor. Além disso, manter a organização financeira garante mais tranquilidade para o seu futuro e o de seus familiares, já que vocês estarão mais preparados financeiramente para enfrentar eventuais adversidades, aos quais todos estamos sujeitos.

Veja como economizar nas contas

No tópico sobre planejamento financeiro, mostramos que um dos principais passos para que ele seja implementado é saber quais são as suas despesas e receitas e entender se os seus gastos mensais são maiores que a renda disponível. Se esse for o caso, será preciso adotar algumas estratégias para economizar nas contas. Felizmente existem diversas formas de fazer isso.

Não compre por impulso

A primeira e principal delas é evitar compras por impulso. Toda aquisição deve ser planejada para saber se ela cabe no seu orçamento, incluindo nisso gastos com supermercado ou outras despesas que possam parecer pequenas ou inofensivas.

Por isso, nunca saia de casa sem uma lista de compras, controle seus impulsos e, se isso for difícil, adote o hábito de pensar e esperar por uns dias, para saber se aquele produto é realmente uma necessidade ou apenas uma vontade temporária.

Reavalie pacotes de serviço

Outra estratégia para reduzir as contas envolve avaliar sua real demanda por produtos e serviços. Pense, por exemplo, no seu plano de telefone celular e veja se tudo aquilo que é incluído no seu pacote (dados de internet, ligações e mensagens) são compatíveis com sua necessidade. Às vezes, ele pode estar além do que você precisa no dia a dia, fazendo com que o gasto com a conta seja excessivo — um ajuste nisso representaria uma economia interessante.

A mesma lógica vale para gastos com TV a cabo (pacotes com inúmeros canais aos quais ninguém assiste) ou mesmo despesas com outras formas de lazer, vestuário ou alimentação fora de casa.

Tenha atenção ao uso do cartão de crédito

Evitar o uso excessivo do cartão de crédito, incluindo nisso parcelamentos, é outra forma de reduzir as despesas. Leve em conta os altos juros cobrados nessa forma de pagamento, principalmente quando a fatura não é quitada de forma integral.

Por menores que forem as parcelas, elas podem se acumular e, quando você se dá conta, a maior parte da sua renda já estará comprometida por isso. Caso as dificuldades de controlar os gastos no cartão sejam muitas, deixe-os sempre em casa e use-os em momentos pontuais. Manter poucos cartões (um ou dois, no máximo) e ter limites compatíveis com sua renda também ajudam.

Nesse sentido, dê sempre preferência aos pagamentos à vista nas compras do dia a dia. Além de evitar endividamentos desnecessários, é possível pechinchar descontos e outras oportunidades melhores pagando suas compras no dinheiro.

Deixe o cartão de crédito para compras de maior valor, quando o dinheiro não for suficiente para o pagamento à vista. Lembre-se sempre de estimar o peso disso no seu orçamento e de pagar o valor integral da fatura sempre em dia, evitando entrar no crédito rotativo, o que é bem perigoso.

Aprenda como fazer uma grana extra

Certo, você chegou até aqui no nosso guia, fez as contas, ajustou seu orçamento e viu que seria muito interessante se o bolso contasse com uma renda extra — seja para encurtar o caminho até a sua meta, seja para formar uma reserva ou mesmo para sair da crise financeira que por ventura você esteja atravessando.

Essa é uma iniciativa louvável e que, se bem executada, pode trazer bons retornos para a sua situação financeira. De toda forma, é necessário sempre considerar alguns aspectos antes de embarcar nela.

O primeiro deles é saber se sua rotina comporta o tempo necessário para desenvolver outra atividade com a dedicação suficiente para conseguir juntar dinheiro extra. Em muitas atividades profissionais, isso é impossível, já que praticamente todo o tempo é ocupado pelo desempenho do trabalho no dia a dia.

Se o quesito não for um empecilho, pare e avalie quais são as suas habilidades e as ferramentas disponíveis e veja se há público interessado em pagar por elas. No tópico a seguir, vamos listar algumas dicas de trabalho para garantir uma renda extra, mas fazer essa autoavaliação é a melhor forma de encontrar uma alternativa com chances de dar certo.

Descubra quais as principais formas de renda extra

Dessa forma, você deve pesar o tempo disponível além do seu emprego atual e quais as habilidades e ferramentas que você tem em mãos para poder levantar um dinheiro extra. Abaixo, indicamos algumas oportunidades que podem ser desenvolvidas em casa, pela internet ou na rua. Confira se alguma delas combina você e mãos à obra!

1. Preste serviço para aplicativos

A economia colaborativa é a tendência que une pessoas interessadas em prestar um determinado serviço com potenciais consumidores, geralmente por meio de aplicativos para celular. Dessa forma, alguém que precisa de um meio de transporte ou uma entrega rápida pode recorrer a essas plataformas para encontrar alguém interessado em fazer esse tipo de serviço.

Por isso, se você tem um veículo na garagem, essa pode ser uma oportunidade de levantar um dinheiro extra, transportando pessoas de um ponto a outro da cidade ou fazendo entregas. Existem várias plataformas do tipo, e elas costumam cobrar uma taxa sobre cada corrida ou entrega feita. Com o tempo, quanto melhor a avaliação do serviço prestado, melhores serão seus rendimentos.

2. Dê aulas

Tem alguma habilidade que pode ser ensinada a outra pessoa? Então, que tal dar aulas sobre isso? Reforço de uma disciplina específica da escola, idiomas, música, culinária ou mesmo artesanato podem encontrar vários interessados.

As aulas podem ser na sua própria casa, na casa do aluno ou mesmo via internet, dependendo do espaço à disposição e da disponibilidade de ambos. O ideal é que elas sejam cobradas por hora. Com o tempo e com o bom serviço prestado, você pode ampliar o número de alunos por meio de recomendações, garantindo uma renda extra cada vez maior.

3. Alugue uma parte da sua casa

Do mesmo modo que você pode se colocar à disposição para fazer entregas ou para transportar pessoas por meio de aplicativos específicos, um quarto vago na sua casa pode se transformar em uma fonte de renda extra.

Algumas plataformas online fazem a intermediação entre pessoas com espaços vazios e hóspedes interessados em alugar casas, apartamentos ou mesmo quartos por períodos curtos, como dias ou semanas.

Para ter sucesso, invista na apresentação e no preparo do espaço, bem como na hospitalidade na recepção. Acertar no preço a ser cobrado também é importante: se sua cidade tem algum potencial turístico, o valor da locação pode ser maior, principalmente nas épocas de maior procura.

4. Venda comida

Quem arrasa na cozinha tem sempre a opção de preparar seus pratos e quitutes e comercializá-los, seja no intervalo do serviço ou mesmo por encomenda. Se você faz um brigadeiro ou pães que todo mundo elogia, essa é hora de fazer isso ser uma fonte de renda.

Antes de ir para a cozinha, pesquise entre conhecidos quais são os sabores favoritos daquilo que você pretende vender. Depois, pense na apresentação do seu produto e capriche na embalagem. Para ampliar a divulgação, utilize as redes sociais e alcance um público maior. Só não se esqueça dos cuidados de higiene durante o preparo, armazenamento e transporte dos alimentos.

5. Cuide de animais de estimação

Muitas pessoas têm animais em casa e, quando precisam se ausentar, não têm com quem deixá-los; ou, ainda, não têm tempo de levar os bichinhos para passear. Por isso, quem se dá bem com cachorros e gatos pode se oferecer para cuidar deles por períodos breves.

É possível oferecer esse tipo de serviço por conta própria, bem como contar com o auxílio de plataformas online que ligam donos e cuidadores temporários. De qualquer forma, tratar os animais com carinho e respeito garante oportunidades para arrecadar mais dinheiro.

6. Venda o que você não usa mais

Acumula muitas coisas que não nunca serão usadas novamente? Então, faça uma limpa em armários e gavetas e separe aquilo que está em boas condições e pode ser vendido para pessoas interessadas.

Isso vai desde roupas até livros, ferramentas, equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos. Você pode organizar um pequeno brechó para promover as vendas, fazer anúncios nas suas redes sociais ou ainda utilizar sites que fazem a intermediação entre vendedores e potenciais compradores.

Decida onde investir a renda extra

O destino do dinheiro levantado com a sua fonte de renda extra dependerá da sua situação de momento. Quem tem dívidas deve priorizar quitá-las com os valores que forem entrando. Nunca é bom negócio ignorá-las, já que, quanto maior o tempo passado, maiores serão os juros cobrados.

Quem está com as contas em ordem e não sofre com as dívidas pode aproveitar o dinheiro que entra a mais para dar um alívio no orçamento, começar uma reserva financeira ou dedicar os valores para a realização de alguma meta estipulada em seu planejamento financeiro.

Se sua opção for formar uma reserva financeira ou dedicar o dinheiro para uma nova meta, encontre formas seguras de investir esses valores. Isso é importante tanto para protegê-los quanto para obter alguma rentabilidade enquanto o dinheiro não for utilizado.

Renda fixa

Dentre as diversas opções disponíveis no mercado, aquelas chamadas de renda fixa são as mais recomendadas, uma vez que oferecem uma rentabilidade prefixada, baixos riscos e permitem começar com pouco. Entre as mais conhecidas estão a caderneta de poupança, o Tesouro Direto e os CDBs (Certificados de Depósito Bancário).

Consórcios

Outra opção interessante para quem quer investir e ver seu patrimônio crescer são os consórcios. Eles unem pessoas interessadas na compra de um mesmo bem em um grupo. Os recursos são reunidos com o pagamento de parcelas mensais e, a cada mês, um dos membros é contemplado e recebe a carta de crédito para adquirir o seu bem de forma antecipada.

Logo, os consórcios permitem a compra planejada de um bem que contribuirá com a ampliação do seu patrimônio, como um veículo ou um imóvel, dando mais garantias para o futuro. Tudo isso sem a cobrança de juros ou a presença de outras burocracias comuns a outras formas de aquisição, o que certamente fará com seu dinheiro renda mais.

Conseguir uma renda extra é uma ótima forma de abrir espaço no seu orçamento para novas conquistas e também para ficar longe das dívidas. De todo modo, é importante que o dinheiro a mais que entre no seu bolso faça parte de um planejamento financeiro, para que ele tenha destino certo e ajude de forma efetiva.

Você viu que o planejamento financeiro é um passo essencial para organizar suas finanças antes mesmo de pensar em renda extra. Por isso, continue por aqui e veja como ele pode ajudar você a juntar dinheiro durante a crise!

Comentários