Saia do aluguel: 9 riscos que as dívidas trazem para a sua saúde

junho 2016

5 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

saia-do-aluguel-x-riscos-que-as-dividas-trazem-para-a-sua-saude.jpg

Ficar endividado afeta toda a rotina de uma pessoa. As noites em claro e a cabeça a mil não dão espaço para pensar em mais nada. Ainda por cima, é nessas horas que as portas se abrem para uma série de outros problemas. Sim, as dívidas afetam até nossa saúde!

Para não se prejudicar ainda mais, saia do aluguel o quanto antes e comece a morar no que é seu para ter mais controle sobre suas finanças e mais qualidade de vida!

Se você ainda não parou para pensar nisso, passou da hora de ler este post. Tomar decisões inteligentes, como comprar sua casa própria, é uma alternativa para ajustar o orçamento à sua realidade e investir em segurança financeira no longo prazo.

Pronto para se convencer de que não deve acumular dívidas e pagar aluguel caro sem ter retorno? Então confira alguns dos principais riscos que as dívidas trazem para a saúde!

CTA_Rodobens_Guia das finanças pessoais_final

Entenda como as dívidas afetam sua saúde

Não adianta se exercitar, ter uma boa alimentação e tomar vitaminas se você vive estressado e preocupado. Saiba: o nível de estresse que passamos impacta diretamente em nossa qualidade de vida, reduzindo a imunidade. Com a rotina de ponta-cabeça, várias áreas começam a se desorganizar, piorando a situação.

Conheça a seguir os principais problemas de saúde trazidos pelas dívidas!

Insônia: fica difícil dormir

O sono é nosso principal meio de reposição de energia, ajudando a restabelecer o organismo para a jornada do dia seguinte. A insônia é exatamente o oposto dessa recuperação do corpo, representando a dificuldade para dormir devido à agitação, ao sono leve e conturbado ou ao sono sem descanso.

A insônia pode trazer malefícios como:

  • irritabilidade;
  • sonolência ao longo do dia;
  • pressão alta;
  • sistema imunológico fraco e desprotegido.

Estresse e ansiedade: as cobranças tiram o sossego

Quando o telefone toca ou chega alguma carta de cobrança, os sintomas do estresse e da ansiedade logo aparecem. Isso acontece porque o cérebro envia 2 hormônios para o organismo que são diretamente relacionados a essa situação mental: a adrenalina e o cortisol.

Com uma injeção diária desses hormônios, o organismo pode sofrer grandes problemas, como:

  • pressão alta;
  • colesterol alto;
  • derrame;
  • infarto;
  • diabetes;
  • triglicerídeos altos;
  • obesidade.

Complicações no relacionamento: a vida a 2 fica abalada

Existe uma frase que diz que quando o dinheiro acaba, o amor sai pela janela. Parece forte, não é mesmo? Mas veja só: quando uma relação que não foi construída com base na confiança e no companheirismo passa por problemas financeiros, pode sim chegar à gota d’água.

Compartilhe com seu parceiro suas dificuldades e não deixe que as dívidas e o estresse acabem com o relacionamento. Lembre-se de que os problemas que os casais enfrentam por causa de dívidas são inúmeros. Por pior que seja a situação, portanto, divida-a com seu parceiro. As soluções vêm mais fácil quando compartilhamos os problemas com alguém de confiança, que sabemos que nos apoiará e ajudará a achar uma saída.

Falta de concentração: o foco sempre volta aos problemas

Quem consegue se concentrar com um monte de contas rondando os pensamentos, não é mesmo? Pois essa falta de concentração pode gerar diversos problemas profissionais e pessoais. No trânsito, por exemplo, muitos acidentes acontecem por pura dispersão.

Tente esquecer por um momento as dívidas (é difícil, mas possível) e faça exercícios de relaxamento. Que tal a meditação para ficar por alguns minutos em silêncio, esvaziando a mente? Passeie também por lugares em que possa ter contato com a natureza para se reenergizar.

Distração no trabalho: até o desempenho cai

Para trabalhar bem, é preciso concentração, não é verdade? O detalhe é que concentração não combina com irritação, ansiedade e estresse, características de quem está preocupado com as contas. O resultado é que a situação piora, pois o rendimento no trabalho cai, colocando em risco até sua estabilidade profissional.

O ideal é aproveitar o momento do trabalho para espairecer, esquecendo ao menos momentaneamente das dívidas. Isso o ajudará não só a manter sua fonte de renda como a aquietar um pouco e aliviar a tensão.

Afastamento social: não sobra dinheiro para o lazer

Quando precisamos economizar, normalmente reduzimos primeiro os gastos com as atividades de lazer. De fato, isso costuma ser o mais sensato a se fazer. No entanto, ser radical e não relaxar em momento nenhum só vai aumentar seu estresse e os problemas de saúde.

O melhor a fazer, portanto, é buscar alternativas de entretenimento mais baratas. Passeios de bicicleta em família, idas ao parque, piqueniques na praça e visita a amigos e familiares são ótimas opções.

Dor de cabeça: a companhia constante na angústia

Muitas vezes, a dor de cabeça é causada pelo estresse. Assim, quando falamos que isso vai dar uma dor de cabeça danada, não nos referimos somente ao sentido figurado. Existem mesmo situações que provocam dores de cabeça e até enxaquecas.

Quando estamos preocupados, nossos hábitos sofrem mudanças radicais, como:

  • perder noites de sono;
  • permanecer estressado o dia todo;
  • consumir alimentos com muita cafeína;
  • ficar sem comer por horas prolongadas.

Tudo isso pode piorar a saúde. E olha que esses são apenas alguns dos distúrbios na saúde causados pelo endividamento, viu? Quem já passou por isso realmente tem muita história para contar…

Procure melhorar sua situação financeira

A saída para fugir de todos esses malefícios está em reorganizar sua situação financeira. O foco deve ser diminuir os custos do dia a dia para conseguir ter mais tranquilidade e qualidade de vida. Assim, você não tem que viver sob constante estresse e ansiedade.

Uma das principais despesas do orçamento é, com certeza, o aluguel, que consome no mínimo ⅓ da sua renda bruta. Isso porque, além de pagar o valor da locação, é preciso arcar com custos como IPTU, seguro contra incêndio e, em alguns casos, até seguro fiança. Livrar-se dessa despesa tão cara pode fazer muito bem para sua saúde, pois você vai estar investindo no que é seu!

Além disso, sair do aluguel também traz benefícios colaterais. Em um imóvel próprio, você pode personalizar melhor os espaços, fazendo mudanças de acordo com as necessidades da família.

Às vezes, a casa não é ventilada o suficiente ou recebe aquele sol da tarde que abafa até os pensamentos. Isso pede alterações que um imóvel alugado não pode ter sem a autorização do proprietário. Na sua casa, por outro lado, você faz como quiser!

Saia do aluguel com a ajuda de um consórcio

Se as contas pesadas não dão espaço para juntar dinheiro e comprar sua casa própria, não tenha dúvidas: comece a pensar em um consórcio. Sem entrada e com prestações mais suaves, que cabem no seu bolso, o alcance desse objetivo se torna bem mais fácil.

A ausência dos pesados juros bancários também torna essa opção muito mais atrativa que um financiamento tradicional. E o melhor: você tem tempo para planejar cada passo enquanto espera pela contemplação, que vai acontecer com muito menos burocracia que nos processos bancários!

consórcio pode realmente ser uma mão na roda para reduzir os malefícios do endividamento para sua saúde. Pensando nisso, portanto, comece logo a investir para melhorar sua situação financeira e reduzir seus gastos!

Quer ver como o consórcio cabe direitinho no seu orçamento e é muito mais econômico que viver de aluguel? Faça uma simulação agora mesmo e comece a se planejar para mudar de vida!

 

 

Comentários