Seguro contra danos a terceiros

Seguro contra danos a terceiros: como funciona?

Janeiro 2019

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Estamos expostos a diversos riscos no trânsito. E uma parte deles envolve outras pessoas, já que ninguém trafega sozinho pelas ruas, certo? Por isso, além de contratar um seguro para sua própria proteção, é recomendável contar com um seguro contra danos a terceiros.

Se você tem dúvidas sobre como esse tipo de cobertura funciona e qual é a importância dela, leia este texto até o final!

O que é um seguro contra danos a terceiros?

O seguro contra danos a terceiros é a forma popular pela qual ficou conhecida a Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V). Essa proteção pode ser tanto um seguro à parte quanto uma cobertura dentro de um seguro normal, que reúne diversas coberturas em uma mesma apólice. Ela garante ao segurado o pagamento de uma indenização aos demais envolvidos em um acidente.

Imagine, por exemplo, que você está indo para o trabalho e, em um momento de desatenção, bate seu carro em um modelo muito mais caro. Sem a proteção do seguro, você estaria em apuros, uma vez que o reparo do outro veículo certamente custaria bem caro. 

Além disso, restaria a possibilidade de o motorista atingido cobrar os valores na justiça. Mas, ao contar com o seguro, você pode acioná-lo para custear o reparo e evitar essa série de problemas decorrentes do acidente.

Quais são os tipos de danos contra terceiros?

Os danos cobertos por um seguro com proteção a terceiros normalmente são divididos em três categorias. Confira abaixo quais são elas.

Danos materiais

A cobertura de danos materiais garante o reparo do veículo ou de outro objeto danificado. Ou seja, ela inclui despesas com o conserto de pinturas, amassados e demais estragos ocasionados pelo sinistro, dentro do limite estabelecido pela apólice.

Danos pessoais ou corporais

Os danos pessoais ou corporais garantem o pagamento de despesas médicas, hospitalares e funerárias, não apenas de outros motoristas, mas também de ciclistas e pedestres que se envolvam no acidente.

Danos morais

Por fim, os danos morais asseguram o pagamento de indenizações de processos judiciais ou acordos extrajudiciais decorrentes das consequências do acidente.

Antes de contratar o seguro, o consumidor pode escolher quais coberturas quer incluir na sua apólice, bem como os valores cobertos pela indenização.

Como o seguro deve ser acionado em cada situação?

Para entender como proceder para acionar o seguro contra terceiros, vamos pensar em duas situações: quando você causa o acidente e quando você é a vítima dele. Acompanhe!

Caso você seja o causador do acidente

A partir do momento em que você assume a culpa pelo sinistro, o seguro contra danos a terceiros deve ser acionado. No entanto, a seguradora pode se negar a pagar a indenização se não ficar claro que a culpa pelo acidente foi do segurado.

Além disso, se o reparo ou as despesas médicas extrapolarem o limite estabelecido na apólice, será preciso arcar com a diferença. Por outro lado, não há franquia nessa modalidade de seguro. Ela só é cobrada se for necessário reparar o veículo do segurado.

Caso você seja a vítima

Se você for a vítima de um acidente, pode contatar a pessoa culpada e verificar se ela conta com um seguro contra danos a terceiro. Se a resposta for positiva, ele poderá ser acionado pelo segurado.

Caso contrário, você terá que custear os reparos ou despesas médicas com dinheiro do próprio bolso ou acionar o seu seguro, o que costuma envolver o pagamento da franquia.

Viu como um seguro contra danos a terceiros é capaz de prevenir diversos problemas caso você se envolva em um acidente? Portanto, considere sempre essa forma de proteção quando for contratar sua próxima apólice.

Quer conhecer as melhores opções de seguro, sempre com confiança e credibilidade? Entre em contato e veja como a Rodobens pode ajudar você!

 

Comentários

Consórcio rodobens

Últimos Posts

  • Muitos de nós temos sonhos como a compra de um carro novo ou a aquisição do primeiro imóvel, não é mesmo? E uma boa saída que várias pessoas encontram para transformar esses desejos em realidade está nos consórcios. Essa já é uma tradicional forma de aquisição de bens de valores mais elevados entre os brasileiros, oferecendo baixos riscos e possibilidades reais de compra.

  • O consórcio costuma ser a melhor opção oferecida pelo mercado para a compra de bens como imóveis ou veículos quando não há dinheiro para o pagamento à vista. Esse modelo permite que haja um melhor planejamento financeiro, além de livrar você das taxas de juros aplicadas pelas instituições financeiras nos financiamentos.

Consórcio rodobens Test-drive Mercedes

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esses no seu email?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e tenha informações em primeira mão.