resgatavel

Entenda o que é e como funciona o seguro de vida resgatável

Fevereiro 2019

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Um seguro de vida é sempre uma excelente forma de resguardar financeiramente seus familiares caso algo de ruim aconteça com você. Mas, na hora de contratar essa proteção, muitas pessoas se questionam se não é mais vantajoso investir o valor em vez de destiná-lo ao pagamento do seguro.

Considerando essas questões, o mercado passou a oferecer uma alternativa: o seguro de vida resgatável, que permite retomar de maneira total ou parcial os valores investidos.

Curioso para conhecer mais sobre essa possibilidade? Continue com a leitura!

O que é um seguro de vida resgatável?

O funcionamento de um seguro de vida tradicional já é razoavelmente conhecido: a cobertura garante o pagamento de uma indenização caso o segurado venha a falecer, sofra com doenças graves ou passe por um acidente que cause invalidez.

Já o seguro de vida resgatável vai além dessa proteção. Ele serve também como uma forma de reserva financeira, que pode ser resgatada posteriormente mesmo sem a ocorrência de um sinistro.

Como funciona um seguro desse tipo?

Existem dois tipos de seguro de vida resgatável: com prazo de validade e com proteção vitalícia. No primeiro, há uma data de validade para o resgate e, a partir desse momento, o segurado não conta mais com a cobertura.

Na modalidade que oferece proteção vitalícia, o resgate pode ser feito a qualquer momento, respeitando o prazo de carência, que costuma ser de 24 meses. Enquanto ele não for feito, a apólice ainda é válida.

O prazo de vigência do seguro interfere em quanto do valor pode ser sacado. Nos primeiros anos, dificilmente será permitido sacar o montante integral investido. Isso muda com o passar dos anos, até atingir os 100%.

Quais são as vantagens de um seguro de vida resgatável?

Ao combinar a proteção do seguro com uma forma de investimento, os seguros de vida resgatáveis oferecem uma série de vantagens. Confira algumas delas e veja se são interessantes para o seu perfil.

Flexibilidade

Um seguro resgatável é mais flexível que as opções tradicionais. Ao mesmo tempo em que garante o pagamento da indenização se for necessário, é possível resgatar os valores a qualquer momento, se for de interesse do segurado — desde que respeitado o prazo carência previsto em contrato.

Essa opção é extremamente útil em casos de urgência não cobertos pelo seguro, ou se aquela apólice não faz mais sentido diante das necessidades do segurado.

Mensalidade não aumenta de acordo com a idade

Uma das principais diferenças entre os seguros resgatáveis e os tradicionais está no valor e na forma de cálculo da mensalidade.

Nos seguros comuns, as quantias são sempre ajustadas de acordo com a idade do segurado. Enquanto isso, nos resgatáveis os aumentos seguem apenas a inflação.

Assim, mesmo que no começo o valor da mensalidade do seguro resgatável seja maior, com o passar do tempo essa diferença vai diminuindo, até o momento em que ambas as formas de seguro fiquem com preços equivalentes.

Rentabilidade

Todo o dinheiro aplicado em um seguro de vida resgatável é corrigido conforme a inflação vigente no país. Além disso, é feito o acréscimo dos valores referentes à rentabilidade obtida no período, de acordo com taxas estabelecidas no contrato.

Na hora de decidir entre um seguro de vida convencional e um seguro resgatável, avalie as condições de toda a família. Considere qual seria o impacto financeiro da sua ausência e, a partir disso, defina a opção mais vantajosa.

Calcule também o peso maior da mensalidade de um seguro resgatável nos primeiros anos e o período de carência. Além disso, faça uma cotação para encontrar o melhor preço, e procure sempre seguradoras com reputação no mercado.

Você já tinha ouvido falar de seguro resgatável? Acha que ele pode ser uma boa opção para a sua realidade? Deixe seu comentário!

Comentários

Consórcio rodobens

Últimos Posts

  • Muitos de nós temos sonhos como a compra de um carro novo ou a aquisição do primeiro imóvel, não é mesmo? E uma boa saída que várias pessoas encontram para transformar esses desejos em realidade está nos consórcios. Essa já é uma tradicional forma de aquisição de bens de valores mais elevados entre os brasileiros, oferecendo baixos riscos e possibilidades reais de compra.

  • O consórcio costuma ser a melhor opção oferecida pelo mercado para a compra de bens como imóveis ou veículos quando não há dinheiro para o pagamento à vista. Esse modelo permite que haja um melhor planejamento financeiro, além de livrar você das taxas de juros aplicadas pelas instituições financeiras nos financiamentos.

Consórcio rodobens Test-drive Mercedes

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esses no seu email?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e tenha informações em primeira mão.