292479-estender-500-palavras-6-situacoes-em-que-contratar-um-consorcio-vale-a-pena

6 situações em que contratar um consórcio vale a pena

Junho 2019

7 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Juntar dinheiro para comprar o bem à vista ou financiar? Nem uma alternativa, nem outra. O consórcio pode ser a oportunidade que você precisava para resolver suas necessidades e realizar seus sonhos! Mas consórcio de imóvel vale a pena?

Bom, os números falam por si: em plena crise, a compra de imóveis através de consórcios cresceu 7,3% em março/2018 (em comparação com o mesmo período do ano anterior). Já em janeiro/2019, a expansão continuou firme, com 6,4% em relação a 2018, alcançando 887,5 mil contratantes no período.

Funcionando da mesma maneira que um consórcio de veículos, o consórcio imobiliário representa a oportunidade (rara) de fugir dos juros proibitivos dos bancos tradicionais, especialmente no momento em que a Caixa Econômica Federal equipara sua política de juros às demais instituições financeiras (taxa média de 8,75% ao ano + TR, o que pode chegar a quase 10% ao ano de Custo Efetivo Total – CET).

Na verdade, todos os consórcios valem a pena, desde que você conheça seu funcionamento. Basta lembrar que, considerando os planos de motos, automóveis e imóveis, a expansão do setor foi de 42,5% entre 2010 e 2016.

Hoje você vai ver um raio X sobre a quem é destinado esse modelo de aquisição e quando o consórcio de imóvel vale a pena!

O que é consórcio, de forma geral?

Ao entrar para um consórcio, você se junta a um grupo de pessoas com objetivos parecidos com os seus — seja a aquisição de um bem ou a contratação de um serviço.

A partir de então, todos os participantes pagam pequenas parcelas mensais. Por exemplo, no caso de um imóvel, você pode escolher pagar R$ 1 mil para obter uma carta de crédito de R$ 100 mil em, no máximo, 120 meses.

A gestão dos recursos fica a cargo de uma administradora especializada, que cobrará uma pequena taxa de administração, que serve para remunerá-la por gerir os recursos e organizar os sorteios.

Essa taxa é fixa, total, estipulada em contrato e bem inferior aos juros dos financiamentos imobiliários (a taxa de administração não trabalha com os juros compostos dos bancos, que se acumulam, gerando uma bola de neve).

No caso do exemplo acima (carta de crédito de R$ 100 mil em 120 meses, com mensalidade de cerca de R$ 1 mil), a taxa total seria de cerca de 19%, conforme pode ser visto no rodapé desta opções de planos.

Isso daria em torno de 0,15% ao mês (ou, para ficar mais fácil de entender, 1,9% ao ano, algo muito diferente dos quase 10% ao ano cobrados em juros bancários).

Com encargos quase 5 vezes mais baixos, já dá para começar a responder se consórcio de imóvel vale a pena, certo? O mesmo vale caso seu interesse seja um consórcio de automóveis, motos ou serviços!

Como obter a carta de crédito?

A formação de um patrimônio decorrente das contribuições de todos os consorciados permite que um número preestabelecido seja contemplado mensalmente com o crédito necessário para a compra do imóvel. Você pode ser contemplado por meio do sorteio ou da oferta de lance.

Com planos de diversos prazos e valores, é sempre possível escolher um consórcio que caiba no seu orçamento. Por essas e outras, o número de participantes e contemplados aumenta ano após ano, assim como as oportunidades para quem pensa em adquirir uma cota.

Consórcio é para quem?

Agora, veja 6 situações e contextos em que um consórcio de imóvel vale a pena, assim como o tradicional consórcio de veículos!

1. Para quem pode esperar

Quem não tem necessidade imediata do bem certamente fará um excelente negócio ao adquirir uma cota de consórcio. Isso porque, nesse caso, esse investimento funciona como uma poupança programada, permitindo ao consorciado preparar-se financeiramente antes de ter o bem em mãos.

Vamos considerar que sua intenção é trocar de carro, por exemplo. No consórcio, você encontra parcelas muito mais em conta que nos financiamentos tradicionais!

Dessa forma, enquanto não é contemplado, pode continuar rodando com seu veículo antigo e ainda economizar nas parcelas do próximo.

Para isso, você pode inclusive abrir mão da possibilidade de ser contemplado por meio de sorteio, formalizando essa solicitação junto à administradora. Assim, você consegue saber exatamente quando terá sua carta de crédito em mãos, garantindo a compra do bem no momento certo.

2. Para quem quer fugir dos juros

Você já deve ter ouvido dizer que consórcio não tem juros, não é mesmo? Pois se ainda duvidava, saiba de uma vez por todas: isso é mesmo verdade! Após a contemplação, o participante recebe a carta de crédito no valor contratado, podendo adquirir o bem ou contratar o serviço desejado à vista.

As taxas aplicadas em um plano de consórcio são relativas apenas à administração do grupo. Por isso, são mais leves que os juros praticados no financiamento convencional. Para você ter uma ideia, a diferença no valor final pago entre essas 2 modalidades tem sido de, em média, R$ 9 mil para modelos populares de veículo.

3. Para quem precisa de disciplina

Como você deve sabe que economizar, definitivamente, não é tarefa das mais fáceis. Para complicar ainda mais a situação, vira e mexe aparecem tentações no caminho que fazem o dinheiro desaparecer, sendo direcionado para aquisições fora das prioridades estabelecidas.

Muitas vezes, o problema se deve ao fato de que, normalmente, deixamos para economizar apenas o valor que sobra no fim do mês. O detalhe é que essa fórmula pode ser bem desestimulante para aqueles que não possuem muita disciplina na hora de usar o dinheiro, uma vez que o mês geralmente acaba sem nada para poupar!

Que tal então transformar a tarefa de economizar em um compromisso fixo mensal, assim como o pagamento das contas de luz, água e internet? A melhor maneira de fazer isso é por meio do consórcio!

Nesse caso, você deve pagar parcelas mensais para continuar ativo no grupo e poder alcançar seus objetivos muito antes do que esperava.

4. Para quem quer parcelas baixas

Você consegue comprar uma moto YBR FACTOR 150 ED com parcelas de menos de R$ 220,00 (em 60 meses). Consegue trocar de carro por mensalidades abaixo de R$ 400,00. E o que dizer do exemplo do fluxo de pagamento de um apartamento que mostramos acima?

Quem conhece o modelo, não tem dúvidas sobre se consórcio de imóvel vale a pena (ou de carros, motos etc.).

5. Para quem busca flexibilização no pagamento

Se o que você procura é uma maneira flexível de realizar seus sonhos, que se ajustem de acordo com sua situação financeira, o consórcio é o negócio ideal.

Nos meses em que sobrar um pouco mais de dinheiro, por exemplo, poderá pagar algumas parcelas antecipadamente, abatendo do restante a ser pago. Aí é possível reduzir o período de pagamento ou amortizar as parcelas, mantendo o mesmo prazo contratado.

Essa é uma ótima oportunidade para aqueles meses em que costumamos contar com um pouco de receita a mais, como nos períodos de férias, de recebimento do décimo terceiro salário ou de premiações.

Em alguns casos, vale a pena usar esses valores para ofertar lances e aumentar ainda mais a chance de ser contemplado.

O consórcio também oferece soluções para o participante que vier a enfrentar algum revés financeiro, vendo seu dinheiro encurtar e dificultando a realização dos pagamentos.

Isso porque é possível repassar a cota de um plano em andamento para outro interessado, recuperando assim o valor investido. É preciso verificar essa possibilidade com a administradora no momento da assinatura do contrato, ok?

6. Para quem quer garantia

O grande receio de muitas pessoas que pensam em adquirir um bem de valor mais significativo (como um carro ou uma casa) é de se arrepender por qualquer razão durante o negócio. No caso de um financiamento, esse certamente será um caminho sem volta, já que não é possível desfazer o negócio ou reaver valores.

É bom ter sempre em mente que, seja por uma situação de dificuldade financeira ou mesmo pela mudança de objetivos, seus planos podem mudar de uma hora para a outra. Nesses casos, a boa notícia é que é possível resgatar o valor pago durante o consórcio no momento do encerramento do grupo, após a última assembleia.

Melhor ainda é saber que o consórcio de veículos, imóveis, motos e serviços também é garantia de satisfação para quem mantém seus objetivos até o fim!

Afinal, enquanto não for contemplado, o participante terá a oportunidade de se planejar ainda mais, escolhendo o melhor negócio para suas necessidades.

Para quem se animou com os benefícios do consórcio e está pensando seriamente nessa alternativa, saiba: desde 2010, o governo oficializou a possibilidade de usar os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para pagar parte das prestações na compra de um imóvel.

As condições são de que os valores não ultrapassem 500 mil reais e que estejam em nome do beneficiado.

Além de todas essas opções tradicionais, aqui vai uma dica bônus: o consórcio também é para aqueles que querem inovar! Muita gente ainda acha que consórcio é só para imóveis, carros e motos. Mas, acredite: já existem modelos de consórcio para reformas, festas, turismo e até estética!

E aí, ainda tem alguma dúvida sobre se consórcio de imóvel vale a pena? Se você ainda tinha dúvidas a ponto de não conseguir se decidir entre consórcio ou poupança, é bem provável que este post tenha ajudado, não é?

Agora, caso queira saber ainda mais sobre o tema, confira este e-book e entenda tudo sobre consórcio

 

Nova chamada à ação

Comentários