Sonho da casa própria: 7 segredos para desviar de armadilhas

Junho 2016

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

sonho da casa propria 7 segredos para desviar de armadilhas.jpg

Comprar um imóvel é uma decisão que compromete grande parte do orçamento mensal de uma família. Ainda assim, o sonho da casa própria é o maior objetivo financeiro da maioria dos brasileiros. Certamente, sair do aluguel é um investimento que vale a pena, mas exige alguns sacrifícios.

Por isso, comprar a casa própria é algo que precisa ser planejado e analisado com atenção. Com alguns cuidados básicos, é possível evitar que a realização desse sonho não se torne um problema na sua vida. Pensando nisso, trouxemos 7 dicas para efetuar a compra do seu imóvel com segurança e desviar de armadilhas. Confira!

Planejar o pagamento

O ideal é poupar pelo menos 20% do valor do imóvel. Isso porque, na maior parte das vezes, é permitido financiar até 80% do total. Para isso, reserve uma quantia de dinheiro mensalmente, talvez até programando uma transferência automática, seja em uma aplicação de baixo risco, poupança ou fundo de renda fixa, para não se esquecer. Mas lembre-se: quanto mais poupar, menores serão os gastos, uma vez que quanto menor é o valor financiado, menos se paga em juros.

Por isso, avalie se é mais vantajoso comprar um imóvel rapidamente, financiando grande parte do valor, ou se é preferível aguardar um pouco mais de tempo para conseguir oferecer uma entrada maior e financiar o mínimo possível.

Ainda nessa etapa de planejamento, uma solução interessante é o consórcio de imóveis. Ao participar de um grupo de consórcio, o pagamento de parcelas mensais se torna uma obrigação, o que evita que você acabe não poupando o dinheiro. Além disso, a carta de crédito pode ser utilizada para comprar seu imóvel na totalidade ou servir como entrada para um financiamento.

Ponderar sobre o comprometimento de renda

Essa dica é muito valiosa. Após poupar o dinheiro referente à entrada, agora é necessário se planejar para assumir as parcelas do novo imóvel. Por isso, é recomendado que, durante 2 ou 3 meses, você simule poupar a quantia referente a esse parcelamento e avalie se é possível viver com o valor comprometido.

Isso porque a dívida ao adquirir um imóvel costuma durar por volta de trinta anos. O que significa que você precisará abrir mão dessa quantia mensalmente durante muito tempo.

Feito isso, é preciso avaliar também sua estabilidade financeira a longo prazo. Tenha em mente que imprevistos acontecem e que, nesses momentos, é necessário ter uma poupança reservada para emergências.

Essa reserva deve ser usada somente em casos de grande necessidade, como perda de emprego ou doença. O valor muda de acordo com a estabilidade financeira de cada um. Por exemplo, para um funcionário público aconselha-se que ele acumule o equivalente a seis meses de despesas. Já um profissional liberal ou autônomo, deve poupar, no mínimo, o valor de doze meses de gastos.

Conter o entusiasmo

Nenhum imóvel é tão sensacional e imperdível que você não possa parar e refletir mais sobre a compra dele. É preferível perder um bom imóvel do que ter um problema por muito tempo.

É indicado visitar a casa três vezes antes da compra, no mínimo, de preferência pela manhã, quando a luminosidade revela todos os detalhes. Além disso, busque saber se os defeitos do imóvel não estão disfarçados por pinturas, por exemplo. Características como infiltrações, estrutura e idade do imóvel devem ser observadas.

Como já falamos, no momento de realizar o sonho da casa própria, planejamento e avaliação são palavras-chave. Pense também se será possível pagar pelas parcelas, mobiliar a casa, se o preço é condizente com o valor do imóvel; enfim, pondere sobre tudo o que envolve a compra do imóvel e só depois feche negócio.

Estar atento à taxa de corretagem

É comum surgir a dúvida sobre quem deve pagar as despesas com a corretagem do imóvel. É estabelecido que elas devem ser pagas por quem vende o imóvel.

Por isso, fique bastante atento. Alguns vendedores vão tentar embutir esse valor no preço do imóvel. Caso isso ocorra, é possível pedir o ressarcimento judicialmente.

Pensar à frente

Outro ponto que precisa ser planejado é se, em alguns anos, sua família estará maior ou menor. Quando você compra um imóvel, espera viver nele por muitos anos. Por isso, não pensar sobre quem viverá lá em alguns anos é um erro.

Se você é recém-casado e pretende ter filhos, é esperado que sua família aumente em alguns anos, então talvez seja perda de tempo comprar um imóvel com somente um quarto. Se você tem filhos adolescentes, é provável que, em alguns anos, eles possam se mudar. Pensando nisso, será que vocês realmente precisam de três suítes?

Pense à frente e analise se o imóvel que você está comprando vai ser adequado para sua família durante os próximos anos.

Prever outras despesas

A realização do sonho da casa própria não envolve somente a compra do imóvel. Existem outras despesas que precisam ser previstas para evitar surpresas no orçamento.

Há contas como água, luz, IPTU, seguro, condomínio, mudança, sem contar os gastos com a documentação do imóvel, decoração e mobília, que, se mal planejados, podem custar muito. São vários os gastos e o proprietário de um imóvel precisa estar consciente disso antes de fechar o negócio, pois todos esses custos também comprometem a renda do comprador.

Compreender o contrato

Você escolheu o melhor imóvel e está na hora de fechar o contrato. Não tenha medo de parecer chato nessa etapa, uma vez que o que for estabelecido acompanhará você por vários anos.

Procure entender tudo o que está descrito no contrato e verifique também se não estão faltando informações, ou seja, se o documento descreve tudo o que foi combinado. O corretor de imóveis é seu aliado no momento de entender as especificações, mas lembre-se que ele é um vendedor; por isso, contar com uma ajuda externa é uma boa pedida para não errar na hora de fechar o negócio.

Essas dicas te ajudam a desviar de armadilhas e problemas na hora de realizar o sonho da casa própria. Prevendo, planejando e avaliando todos esses aspectos fica mais fácil de acertar no momento de fechar um negócio.

Após a leitura deste artigo, coloque essas ideias em prática e nos conte se isso facilitou o seu processo de compra. Caso você já tenha comprado a sua casa e conhece mais algum segredo importante para evitar problemas ao adquirir um imóvel, deixe também sua sugestão nos comentários!

Nova chamada à ação

Comentários