Saiba como calcular a taxa de depreciação de imóveis

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Seja para avaliar melhor a aquisição de um imóvel com o intuito de investir ou na hora de comprar ou vender o apartamento da família, é importante conhecer em detalhes as regras do mercado imobiliário para que sua decisão não se transforme em dor de cabeça. Na hora de negociar esse tipo de propriedade, portanto, é sempre bom pensar na taxa de depreciação.

Mas o que é essa taxa? Como é feita essa conta? Quais fatores são levados em consideração? Como exatamente ela afeta o valor do imóvel? Para responder a essas perguntas, basta acompanhar nosso post de hoje!

Antes de mais nada, o que é a depreciação?

Antes de explicarmos como é calculada e de que maneira pode afetar o preço de um imóvel, precisamos definir o que é a depreciação. Trata-se basicamente de um processo de avaliação que calcula a diminuição de preço de um bem por alguma causa que modifica seu estado original ou que impede sua plena utilização para o fim a que foi destinado.

Como calcular a taxa de depreciação dos imóveis?

No caso dos imóveis, os quesitos que devem ser levados em conta para fazer esse cálculo são principalmente: tempo, tipo de uso e ação da natureza. O detalhe é que a depreciação não é uniforme para todos os tipos de imóvel. Isso quer dizer que diferentes imóveis sofrem de maneiras também diferentes.

Vagas de garagem para locação e terrenos, por exemplo, são os que menos perdem valor com a depreciação. Já outros imóveis, como salas comerciais e residências, sofrem mais com o passar do tempo. Vale ressaltar que os apartamentos depreciam ainda mais rapidamente que as casas.

Um dos fatores que impacta aí é o tipo de reforma necessária para manter o bem em bom estado. Enquanto uma vaga de garagem só precisa de uma pintura de tempos em tempos, um prédio comercial ou uma residência pode necessitar de reformas maiores para garantir uma boa conservação.

A legislação tributária define que um imóvel tem taxa de depreciação 4% ao ano, com o detalhe de que o terreno deve ser separado do valor da construção, uma vez que não sofre com a depreciação. Além disso, imóveis que ainda estão à venda são chamados de estoque, também não sofrendo depreciação.

Os cálculos podem ser feitos usando várias fórmulas que indicam o coeficiente de depreciação e permitem chegar a um valor atualizado do imóvel. Os métodos mais comuns são o da linha reta, para calcular o valor atual da depreciação, o do valor decrescente, para calcular a depreciação por uso ou desgaste, e o de Kuentzle, que possibilita calcular a depreciação em momentos diversos da vida útil do imóvel.

Por que é importante fazer essa conta?

Na verdade, a importância de saber a taxa de depreciação do seu imóvel depende da finalidade a que você o destinará. Para investimentos, é muito importante saber quanto seu imóvel tende a valer no futuro, ainda que dinâmicas próprias do mercado possam afetar essa estimativa.

Em caso de usos residenciais, saber a taxa de depreciação pode ajudar a indicar o valor máximo a ser gasto em uma eventual reforma, por exemplo. Afinal, por mais que imóveis muito antigos possam ter um valor mais baixo devido à taxa de depreciação, ainda podem necessitar de reformas — que não serão incorporadas a seu valor.

E então, se interessou pelo assunto e quer saber se comprar um imóvel é mesmo um bom negócio? Confira este post e se prepare para ter o seu!

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários