• superfluos-que-te-endividam
    Dezembro 2018

    Como identificar os gastos supérfluos que te endividam

    Qualquer conteúdo que traz dicas sobre como controlar o orçamento, inclusive os publicados aqui blog, recomenda identificar e cortar os gastos supérfluos para manter as contas em dia.

    Não há dúvida sobre a importância da redução dessas despesas consideradas menos importantes. Mas do que estamos falando quando mencionamos esses tais gastos supérfluos? E qual é a melhor forma de identificá-los e cortá-los? As respostas para essas perguntas estão ao longo deste texto. Acompanhe!

    O que são gastos supérfluos?

    Gastos supérfluos são aqueles feitos sem uma reflexão prévia sobre a sua real necessidade. Eles poderiam ser dispensados se houvesse uma análise maior antes da compra. E nem precisam ser de valores elevados!

    Podem ser tanto compras de itens de vestuário, eletrônicos ou qualquer outro produto de maior valor, quanto pequenas compras do dia a dia — como o cafezinho depois do almoço, o sorvete no fim da tarde ou o jantar fora de casa em vários dias da semana.

    Ainda assim, o que é supérfluo para uma pessoa pode não ser para outra. E o motivo para isso é simples: entender o que é um gasto dispensável passa por compreender a situação financeira e as necessidades da rotina de cada um.

    Uma pessoa com um orçamento organizado pode ser dar ao luxo de comer mais vezes fora ao longo do mês, por exemplo. Já quem está em apuros precisa controlar esse tipo de custo de forma rígida.

    Como identificar e eliminar essas despesas?

    É difícil listar todos os gastos supérfluos, já que eles variam de pessoa para pessoa. Mas ainda é possível separá-los em categorias, como lazer, vestuário, entretenimento e serviços. Desse modo, fica mais fácil tomar atitudes para tornar racional o uso do dinheiro e evitar que essas compras desnecessárias se transformem em dívidas. Acompanhe a seguir a melhor maneira de fazer essa divisão.

    Lazer

    Com exceção de situações extremas, o lazer nunca deve ser excluído completamente do orçamento. É essencial ter fontes de diversão e relaxamento em meio a tantas obrigações nem sempre tão agradáveis.

    Todavia, a fatia da renda destinada a esse gasto deve ser pequena e utilizada de forma bastante controlada. Usou todo o dinheiro reservado para isso antes de o mês acabar? Então procure alternativas gratuitas ou mais baratas para se divertir até o mês seguinte.

    Vestuário

    Roupas, por si só, não são uma despesa supérflua. Mas as coisas podem sair de controle se não forem tomadas algumas precauções. As duas principais são: não comprar peças que serão utilizadas pouquíssimas vezes e não gastar demasiadamente com roupas de marcas famosas, que sempre são mais caras.

    Entretenimento e serviços

    Faça uma avaliação cuidadosa dos pacotes de TV a cabo, internet e telefone celular contratados. Veja se eles estão de acordo com o seu uso. Não é raro que esses serviços estejam comprometendo uma fatia muito grande do orçamento sem que tudo esteja sendo de fato utilizado.

    Para aumentar a economia, opte por serviços de streaming. Com uma mensalidade bem mais em conta, eles oferecem boas opções de séries e filmes por meio da internet.

    No começo pode ser difícil abrir mão de pequenos luxos que estão presentes na rotina há muito tempo. Por outro lado, o esforço para cortar os gastos supérfluos vai gerar uma economia que poderá ser utilizada para fins mais relevantes.

    Deixe seu comentário contando qual é o gasto supérfluo que mais atrapalha seu bolso e o que você faz para evitá-lo!

    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Dezembro 2018

    Consórcio é burocrático? Entenda!

    Poucas coisas são tão capazes de nos desestimular a entrar em um negócio como a burocracia, não é mesmo? Afinal, não há quem goste de lidar com uma infinidade de papéis, documentos, assinaturas, filas e análises complexas.

    2 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Dezembro 2018

    O que são frotas leves e como montar a sua?

    Se seu empreendimento costuma realizar entregas ou mesmo fazer transportes de carga, você certamente sabe o quanto é importante ter veículos especializados disponíveis. Principalmente se o objetivo é se locomover pela cidade, onde o transporte é mais caótico que nas rodovias, o uso de frotas leves é mais que necessário.

    2 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Dezembro 2018

    TOP 5 vantagens de contratar um seguro para a frota de veículos

    O seguro para frotas de veículos funciona de maneira bem similar ao individual. Nele, o serviço contempla uma quantidade maior de veículos, e a cobertura da seguradora pode incluir questões como furto e roubo, colisão, danos a terceiros, incêndio, reparo de vidros, atendimento com guincho etc.

    4 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Dezembro 2018

    Como definir metas financeiras que você pode cumprir?

    Preparar-se para o futuro é uma decisão inteligente que todo mundo deve tomar. Em vez de gastar todo o salário, é melhor reservar uma parte dele para investir. Mas, para que seus planos funcionem, você deve saber como definir metas financeiras do jeito certo.

    Primeiro, observe seu orçamento. Se você começar separando mais do que poderia, em pouco tempo vai fugir do planejado. Além disso, para aproveitar o dinheiro da melhor forma possível, é preciso saber para onde direcioná-lo.

    Veja, de forma simples e prática, como definir suas metas financeiras, se organizar direitinho e conquistar todos os seus sonhos!

    Defina o quanto pode separar para investir

    Independentemente de quanto você ganha, sempre dá para separar um dinheirinho pensando no futuro. Para descobrir o valor ideal, faça as contas, priorizando o pagamento das dívidas e dos compromissos mensais. Se está com contas atrasadas, quite todas elas primeiro. Os juros sempre são muito altos e boicotam seus planos.

    Com todas as contas pagas, defina uma parcela para guardar. O ideal é algo entre 10% e 30% do salário, dependendo da folga que tiver no orçamento. Quanto mais, melhor! Isso vai acelerar a conquista dos objetivos.

    Caso receba um extra — do décimo terceiro, férias ou Imposto de Renda — não pense em gastá-lo de imediato: aproveite para guardá-lo também!

    Construa uma reserva de emergência

    O primeiro passo com o dinheiro economizado é construir uma reserva de segurança. Ela não deve ser usada, a não ser em casos extremos. Guarde o equivalente a três ou seis vezes sua renda. Assim, se ficar desempregado ou tiver um problema de saúde mais sério, você tem como se manter até as coisas voltarem ao normal.

    Conserve esse dinheiro em uma aplicação segura e acessível (sem bloqueios bancários ou prazo de carência para resgate), mesmo que não renda muito. Em um momento de urgência, você pode recorrer a ele sem demora.

    Tenha objetivos de médio, curto e longo prazo

    Quando estiver economizando, surgirão sempre novas necessidades — desde um remédio para gripe até o conserto de um eletrodoméstico. Para evitar que essas demandas atrapalhem seus planos, separe o dinheiro reservado em três partes.

    Objetivos de curto prazo

    Sabe aqueles mais simples, como passar um fim de semana na praia, comprar um notebook ou trocar de celular? Devem estar aqui. São coisas que você pode conquistar com cerca de seis meses a um ano de economia, dependendo do quanto vai guardar. Direcione entre 10% a 20% da quantia para planos de curto prazo. 

    Mas se surgirem necessidades imediatas, use esse dinheiro para atendê-las, combinado? Assim, fica mais fácil retomar seus planos depois.

    Objetivos de médio prazo

    Entra aqui tudo que for levar dois anos ou um pouco mais para conquistar. Os objetivos de médio prazo tomam cerca de 30% da sua reserva. Um intercâmbio, procedimento cirúrgico estético ou uma viagem ao exterior são alguns exemplos. Não é algo que se conquiste da noite para o dia, exigindo um pouco de planejamento.

    Objetivos de longo prazo

    São aqueles que você vai demorar mais tempo para conquistar, como um carro ou a casa própria. Separe a maior parte da sua reserva para esses planos — cerca de 50% a 60% — pois aqui está tudo o que é importante para seu futuro.

    Revise suas metas e o uso do dinheiro

    De tempos em tempo, reveja as metas. Terminou de pagar um crediário? Vai sobrar mais dinheiro. De preferência, converta isso em economia. Faça o mesmo se receber uma promoção no trabalho, com aumento de salário.

    Também analise se está usando seu dinheiro da melhor forma. Pare para pensar se não está gastando demais com saídas no fim de semana ou comendo com muita frequência em restaurantes. Esses custos tiram você do foco, portanto devem ser bem controlados.

    Agora você já sabe exatamente como definir metas financeiras de forma inteligente! Aproveite as dicas e tome as rédeas da sua vida financeira. 

    Quais são seus planos para o futuro? Deixe um comentário e compartilhe seus objetivos com a gente!

    3 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Outubro 2018

    Seguro viagem para a Europa: obrigação ou necessidade?

    Seja a passeio ou a trabalho, a Europa é um dos principais destinos dos brasileiros todos os anos. E são muitas as razões para isso, desde a reunião de diversas culturas e opções de lazer à sua economia movimentada. Para que tudo transcorra bem, no entanto, é necessário tomar alguns cuidados e resolver certos aspectos burocráticos antes da aventura.

    2 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Outubro 2018

    Terceirização de frotas: prós e contras dessa prática

    Quem administra uma empresa que depende de veículos para a prestação de serviços logísticos ou para uso dos funcionários costuma lidar com uma questão importante: afinal, será que vale a pena fazer a terceirização de frotas?

    2 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Outubro 2018

    Consórcio x financiamento: qual a melhor forma de comprar um caminhão?

    Quem tem o caminhão como ganha-pão sabe que investir no veículo certo faz toda a diferença. Afinal, além de ser um patrimônio, um bom caminhão garante conforto e segurança nas estradas e ainda permite pegar fretes mais bem remunerados.

    4 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Setembro 2018

    Leasing de veículos: o que é e quais são as vantagens para empresas?

    Você já ouviu falar em leasing de veículos? Com ele, sua empresa pode arrendar carros e caminhões junto a uma empresa de locação por prazos que costumam variar entre 1 ano e 36 meses.

    É sabido que montar a própria frota de veículos exige investimentos altos, mas isso não significa que deve ser apenas uma estratégia de grandes empresas. Afinal, essa parte é importante para a logística empresarial — e terceirizar o serviço contratando uma transportadora, por exemplo, pode não ser a melhor opção estratégica.

    Por isso, neste post vamos mostrar por que o leasing é uma opção viável e inteligente, em especial para pequenas e médias organizações. Como em um aluguel, os pagamentos são fixos e mensais e cabe ao fornecedor cuidar da documentação e manutenção dos veículos.

    Ao final do contrato, ainda é possível acionar uma cláusula de compra dos equipamentos ou simplesmente renovar o leasing. As vantagens são consideráveis, como mostramos a seguir. Vamos lá?

    Veículos certos

    Frotas antigas são um problema: os veículos exigem manutenção recorrente, não têm a mesma performance dos equipamentos mais novos e não são tão confortáveis ou seguros quanto linhas recentes. Evidentemente, trocar os caminhões todos os anos não é exatamente barato.

    Mas, com o leasing, você tem praticamente isso: sua empresa escolhe os veículos a serem arrendados de acordo com as necessidades próprias do negócio e tem acesso a caminhões modernos que passam por manutenções programadas constantes. Ou seja, a cada ano é como se sua empresa tivesse uma frota nova em folha.

    Prevenção contra descapitalização

    Investir em veículos corporativos é, também, adquirir ativos para a empresa. O problema é que a desvalorização desse tipo de equipamento é certa, já que é impossível lucrar com a revenda de um caminhão. Além disso, a cada ano que passa os equipamentos exigem mais reparos, tornando a própria manutenção onerosa.

    No leasing de veículos, contudo, a empresa não tem nenhuma obrigação de comprar o veículo após o período de arrendamento. Dessa forma, não há riscos de ver o investimento realizado em frota própria resultar em retornos financeiros irrelevantes ou inexistentes.

    Possibilidade de monitoração

    Quando se opta por um leasing de veículos, todas as principais preocupações e gastos burocráticos ficam sob responsabilidade do fornecedor: desde a aquisição e documento até a manutenção. No entanto, isso não significa que o cliente coloca toda a gestão de veículos na mão de terceiros, o que seria um problema.

    O arrendador pode oferecer dispositivos para garantir uma boa gestão de frotas. Veículos equipados com GPS, por exemplo, permitem um melhor estudo das rotas utilizadas pela sua empresa e esses dados podem ser utilizados tanto para otimizar os caminhos quanto para dar referência a métricas importantes, como o consumo médio de combustível. Assim, a empresa permanece capaz de aplicar sua política e gestão de frotas apoiada em dados reais.

    Gastos sob controle

    Por fim, vale lembrar que as principais vantagens do leasing de veículos estão na diminuição dos gastos e melhoria do controle financeiro. Os pagamentos são fixos e mensais e essa previsibilidade é ouro para manter o orçamento sob controle, mesmo no médio e no longo prazos.

    Como o leasing ainda dá a opção de aquisição definitiva do equipamento, também pode ser considerado uma forma de ampliar o patrimônio da empresa. Uma das alternativas, inclusive, é combinar o leasing com um consórcio de veículos. Assim, quando a empresa for contemplada, pode abrir mão do arrendamento, mas não fica sem veículos enquanto isso não acontece.

    Viu como optar por um leasing de veículos pode ser uma estratégia interessante? Saiba mais sobre essa alternativa conversando com um dos nossos atendentes!

    2 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp
  • Julho 2018

    Sair do aluguel: 5 dicas para identificar se é a hora

    A conquista da casa própria é o sonho de grande parte das famílias brasileiras. E não é para menos! Essa realização traz uma indescritível sensação de segurança e estabilidade, bem como representa a oportunidade de investir em algo para o futuro. E aí, está na fase certa para sair do aluguel?

    3 minutos de leitura
    Compartilhe
    Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

ASSUNTOS MAIS ACESSADOS

Confira os assuntos mais acessados do nosso blog, acesse já um de nossos tópicos.