Ao contrário do que muita gente pensa, imóveis usados podem sim ser investimentos interessantes — principalmente se você fizer as escolhas certas, claro! Afinal, além de serem bem mais baratos que os novos, as possibilidades de adaptação do espaço são inúmeras!

    Pensando justamente em facilitar sua escolha, separamos aqui o que é preciso considerar na hora de comprar para reformar. Acompanhe os próximos tópicos e confira!

    Pense na localização

    A localização é o primeiro fator a ser levado em conta, pois determina inclusive o preço do empreendimento. Nesse contexto, é importante verificar alguns pontos, como a mobilidade (se há metrô ou terminal de ônibus por perto), bem como o nível de comércio na região (supermercados, lojas ou shoppings).

    Mas atenção: um lugar que contemple esses 2 componentes tem tanto vantagens como desvantagens, viu? Por um lado, são boas características, pois trazem conveniência. Por outro, no entanto, há chances de ter muito barulho, trânsito e movimento, o que pode incomodar no dia a dia. O segredo está em pesar prós e contras, sempre de acordo com suas necessidades.

    Avalie o estado do imóvel

    Aqui está um ponto crucial a se considerar antes de começar a pensar na reforma do empreendimento. Tudo bem que há casas e apartamentos que, mesmo com muito tempo de existência, ainda apresentam estruturas conservadas. No entanto, existem também aqueles imóveis que, por não terem sido bem cuidados, apresentam sérios problemas.

    O importante é segurar a empolgação se encontrar o imóvel ideal, focando na razão nesse momento. Contrate um técnico para ajudar na avaliação das condições do local. Confira as instalações hidráulicas, o estado das paredes e como está o sistema elétrico, pontos que são cruciais para o imóvel ser habitável.

    Estime o valor da reforma

    Essa é uma questão primordial, pois está diretamente ligada a seu bolso e à estabilidade do seu orçamento. O ideal aqui é que, depois de avaliar o estado do imóvel, você já comece a definir um primeiro orçamento junto com um profissional especializado.

    Nesse caso, é importante atentar para as condições da estrutura do local, pois certos empreendimentos podem exigir um reparo bem maior que apenas pintura e troca de revestimentos. Lembre-se de que cada detalhe deve ser analisado antes de escolher aquelas opções que se encaixem no seu cálculo.

    Planeje a obra

    Após avaliar a reforma a partir de uma perspectiva global, você provavelmente já terá uma boa estimativa do valor total dos seus gastos. Aí chega a hora de efetivamente definir o que será feito no local, em que ordem de prioridade e em quantas etapas.

    No planejamento da obra, leve em conta os pontos mais problemáticos do imóvel, como danos ao sistema elétrico e infiltrações, que devem ter prioridade na execução. Complicações nos revestimentos também devem ser sanadas o quanto antes, pois desvalorizam bastante o empreendimento. Questões meramente decorativas podem ficar para depois, sendo resolvidas ao longo do tempo.

    Escolha bons profissionais

    Obviamente, a principal consideração nesse caso é que você opte por pessoas com experiência na função designada. Nessa circunstância, a pesquisa será sua melhor aliada para achar os profissionais ideais. Faça buscas na internet e peça conselhos para amigos.

    Recorra a quaisquer recursos que tiver disponíveis a fim de angariar o máximo de informações para, assim, fazer uma boa seleção. Dessa forma, você garante que o serviço será de boa qualidade, conseguindo não só valorizar seu imóvel como atender a suas necessidades.

    E aí, gostou das nossas dicas sobre o que considerar na hora de comprar para reformar? Quer continuar se informado sobre esse universo? Então acesse já nosso texto e aprenda a criar um cronograma de obras!