313740-entenda-como-funciona-vistoria-veicular-para-transferencia

Entenda como funciona vistoria veicular para transferência

Janeiro 2020

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Entre os procedimentos obrigatórios em uma negociação de veículos, a vistoria veicular para transferência é a mais importante, visto que garante a segurança do comprador. Prevista no Código de Trânsito Brasileiro, ela deve ser feita antes mesmo de proceder a mudança de propriedade.

Continue com a leitura deste post para entender o que é e como é feito esse procedimento, como ele se difere da inspeção veicular e qual a sua importância. Acompanhe!

O que é a vistoria veicular?

A vistoria veicular para transferência nada mais é do que uma avaliação realizada nos veículos a fim de liberar sua circulação pelo país. Esse processo garante que o veículo está em situação regular perante o departamento de trânsito e que não oferece nenhum risco aos seus ocupantes.

Por isso, o primeiro passo da vistoria veicular é verificar a documentação, constatando sua autenticidade e se as informações coincidem com as especificações do veículo. Alterações nas características de fábrica e personalizações que não estiverem regularizadas podem fazer com que o automóvel seja reprovado na vistoria. Nesse momento, também é verificado se existem débitos em atraso, como IPVA, licenciamento e multas.

Em seguida, os vistoriadores analisam as condições mecânicas e elétricas do veículo. Além de estar com a manutenção em dia, é preciso que todos os itens de segurança estejam em ordem, como cinto, chave de roda, triângulo, velocímetro, buzina e sistema de iluminação.

Se for aprovado em todas essas análises, o veículo recebe o laudo de vistoria com a devida aprovação para prosseguir com a transferência. Em caso de reprovação, o relatório também será emitido com as causas dessa decisão para que as providências possam ser tomadas.

Em que situações em que a vistoria veicular é necessária?

Sempre que um veículo for mudar de propriedade, seja em razão de uma negociação ou devido à cessão de uma pessoa para outra, é necessário que ele passe pela vistoria veicular. A legislação também estabelece que automóveis com mais de 5 anos de fabricação passem pela vistoria anualmente para a emissão do seu licenciamento.

Outras situações que exigem a realização da vistoria é a mudança do município de registro e alterações nas características do veículo que impliquem atualizações na documentação, como cor ou motorização.

Qual a diferença entre vistoria e inspeção veicular?

Ainda que sejam procedimentos similares, a vistoria e a inspeção veicular apresentam diferenças importantes. Na prática, a vistoria se limita a inspeções visuais e com pouco aprofundamento, mas suficientes para definir se um veículo está em situação regular. Já na inspeção veicular, essa análise é feita de forma mais técnica, com a intenção de avaliar a fundo as condições de funcionamento do veículo. 

A inspeção deve ser realizada por um engenheiro ou por um técnico com registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA), a fim de avaliar toda a estrutura do veículo em situações reais de rodagem. Esse procedimento é necessário quando se faz uma alteração estrutural no automóvel, como a mudança do motor ou a instalação de um kit de GNV (Gás Natural Veicular).

Se você chegou até aqui, viu que a vistoria veicular para transferência é responsável por evitar qualquer tipo de fraude, garantindo a procedência do veículo e assegurando sua legítima propriedade.

E então, o que achou do nosso artigo? Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe aqui o seu comentário e compartilhe conosco! 

Comentários